Por um natal mais decorado em seu coração - por Adriano Villa

Por um natal mais decorado em seu coração - por Adriano Villa

Já percebeu que os dias tem passado cada vez mais rápido? Muitas pessoas comemoram uma semana rápida, afinal de contas, é muito mais rápido chegar a outro final de semana. O problema é que, como diz o velho ditado: de grão em grão a galinha enche o papo, e nem percebemos o tempo correndo.

É como fazer os tão desejados dezoito anos... Desejamos do fundo da alma completar dezoito, mas depois que completamos, os anos parecem passar tão rápido que desejamos com a mesma intensidade voltar a nossa infância. Ao tempo que tudo era muito mais simples e fácil. Um tempo que escrever cartinhas para o Papai Noel era a esperança de um Natal super feliz com o presente tão desejado.

Pois é... O tempo passa tão rápido que nem percebemos alguns amigos que vão se perdendo pelo caminho. Não percebemos que algumas coisas que gostávamos de fazer, com o tempo vão se tornando esquecidas. E quando paramos para pensar, muitos anos nos distanciam de um tempo em que tudo parecia um outro mundo. E nem sempre temos coragem de voltar a fazer o que fazíamos.

Algumas pessoas se perdem pelo caminho e nos deixam com saudades. Ficamos pensando em tudo que poderíamos ter feito para amenizar tal sentimento, mas ficar pensando em algo depois de um determinado fato ocorrido é apenas uma justificativa para o nosso desleixo, ou melhor, pela nossa falta de percepção por causa da corrida do tempo que acaba nos dispersando de muitas coisas importantes. 

Por isso, precisamos pisar um pouco no freio e apreciar o nosso passeio por este plano. Pensar menos nos problemas, se sacrificar menos para garantir um pouco mais de sustento para a família e não deixar as coisas importantes de lado: o amor. O amor é um sentimento importante e fortalecedor para muitas almas apreensivas.



Ainda mais em um mundo como o nosso... Algumas pessoas cometem atrocidades dantescas que nos fazem questionar se realmente existe um Deus sobre nossas cabeças. Se Ele é o chefe de tudo, onde está neste momento que não fez ou faz nada para impedir tais calamidades pessoais, não é verdade? Bom, Deus está lá em seu lugar apenas observando o que a sua criação fará de bom com o tempo que lhes são dados.

E é exatamente por essa razão que o Natal antecede o Ano Novo. E o que isso tem a ver com tudo? Tem tudo a ver... O natal é um momento onde os sentimentos estão a flor da pele, onde todos os grandes prédios cinzas estão decorados para nossos olhos apreciarem tal beleza. Algumas pessoas ficam horas diante da grande árvore de natal do Parque do Ibirapuera curtindo a visão natalina.

Mas esquecem que nossos corações precisam estar decorados também. É preciso deixar esse espirito fluir em nossa alma, relevar todos os problemas que nos causaram ou que causamos para as demais pessoas e aprender a perdoar em nome do amor. Infelizmente, esse mesmo sentimento poderoso é causa de muitas tristezas, entretanto, é a natureza do amor, um sentimento de extremos.

O tempo passa rápido demais para perdermos nosso precioso tempo com sentimentos negativos em nossos corações. Não somos perfeitos, todos nós erramos e são com os erros que aprendemos a ser um pouco melhores. Por isso, aproveite o natal não apenas para trazer as luzes e decorações natalinas para o interior de sua casa, mas também para seu coração.

Desta forma, iniciará um novo ciclo com o pé direito e com um coração mais leve e com mais felicidade por deixar coisas que não nos trazem nada de bom para trás. Faça um teste e verá que as coisas ficarão ainda mais gostosas de se comemorar e, se por ventura, não quiser acertar as contas com uma pessoa pelo simples fato de saber que ela cometerá o mesmo erro, tenha paciência, é errando que se aprende e todos nós desempenhamos um papel muito importante na evolução de cada um.

Vamos deixar as diferenças para trás aos poucos, utilizar o natal como trampolim para um ano novo realmente novo, afinal de contas, essas datas carregam uma simbologia muito importante e que podem realmente fazer uma grande diferença em nosso ano inteiro. E lembre-se de parar um pouco para admirar a vida, admirar os amigos e agradecer por fazer parte de um mundo como o nosso, sei que a televisão sempre nos traz muitas desgraças, mas não podemos esquecer que é a desgraça que traz ibope e não atos bondosos que acontecem todos os dias, mas que ninguém imprime na primeira página de um jornal.

Adriano Villa 
Escritor, cronista & poeta
Vive em São Paulo

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Bolo Verde - por Ana Gilda Coelho

Ingredientes:  Massa 4 ovos 1 pacote de massa pronta para bolo, sabor laranja ou abacaxi 1 pote de iogurte natural...

Menor de idade / Maior de idade - por Aline Aguiar

A norma culta não aceita as formas “de menor”, “de maior”. As formas corretas são menor ou maior de idade. Carolina...

Rincão Poético: O mundo que eu gostaria - por Lidiane Santos

Gostaria de ver o dia amanhecer O sol chegar de mansinho Enquanto as crianças tomam café E aquecem seus coraçõezinhosGostaria...

Arco-Jesus-Íris - por JackMichel

Na colorida época do Flower Power Satanás decide visitar o arco-íris psicodélico de Jesus Cristo e, lá chegando, o louro...

Verde-maduro - por Maria do Carmo Ferreira

Verde-maduro- Deu. Muita.Era o que queríamos. Da negociação insistente vinha a autorização comemorada. Num segundo a turma estava pronta. Quando...

Música - Catavento

A Catavento, formada por Leonardo Rech (guitarra/voz), Leonardo Lucena (guitarra/voz), Eduardo Panozzo (baixo/voz), Lucas Bustince (bateria) e Johhny Boaventura (teclas/voz)...

A Crônica da Vez: Se todas as pessoas do mundo dessem as mãos, quem puxaria a descarga? - por Roberval Piriri

Digo e repito: o problema fundamental do mundo é o excesso de gente. O número de pessoas cresce dia a...

Permita-se a lembrança boa - por Karine Klein

Se você pudesse guardar uma lembrança boa de um amor que lhe feriu, qual seria? Normalmente, quando se termina um...

Rincão Poético: Visita - por Nelson Luiz Pedra

Corroído pela ausência Não sabia o que fazer Então num ato de coragem Peguei a saudade pela mão E fomos...

Será que vou me arrepender? - Diogo Krevoniz

Esta perguntinha me atormenta e se aplica a tudo na minha vida. Afinal, temos que fazer escolhas constantemente. As escolhas...

Patrocinadores da cultura