Sarau das prendas, beleza e tradição - por Mariane Soares

Sarau das prendas, beleza e tradição - por Mariane Soares

O Tradicionalismo vai além da indumentária, da música e da preservação dos costumes, tem um jeito de viver singular, e traz, no vocabulário, uma nomenclatura própria.

Quando o Movimento Tradicionalista iniciou, em 1947, apenas os homens frequentavam os bailes e os galpões de CTG. Com o tempo, os Centros de Tradições Gaúchas se tornaram entidades familiares, onde as irmãs, mães e filhas passaram a participar das atividades, junto aos homens da família.

Até hoje, nos CTG’s, o baile é de luz acesa, sendo o ambiente tranquilo e familiar. As entidades tradicionalistas, regidas pela Carta de Princípios do MTG, mantém as regras éticas e morais do gaúcho.

O Sarau de Prendas é um exemplo da maneira peculiar de cultivar a tradição e nada mais é do que um baile de debutantes à moda gaúcha, onde as prendas (debutantes) usam o traje feminino típico do Rio Grande do Sul. O vestido de prenda, inspirado na moda europeia da década de 1940, tem diretrizes definidas pelo MTG.

No sarau admite-se modelos um pouco mais sofisticados. A vestimenta é diferente da prenda adulta, mas algumas coisas todos tem em comum: os vestidos não possuem decotes e a barra da saia deve sempre chegar ao peito do pé.

Na cultura gaúcha, o Sarau deve ser o primeiro baile da prenda que, após esta data, passa a frequentar os fandangos. É um rito de passagem da infância para a adolescência. Geralmente, as debutantes são apresentadas com o nome de seus pais, a música preferida, poesia e uma frase ou mensagem que as defina. Em seguida, dançam uma valsa, sendo a mais tradicional “Prenda jovem”, cuja autoria é do grupo “ Os Serranos”. Seus versos, transcritos a seguir, nos diz muito da essência desta solenidade, repleta de encanto, sonho e magia.



Prenda Jovem
(Os Serranos)

Baila comigo esta valsa prendinha, roda na sala por primeira vez,
hoje não é mais aquela menina, pois prenda jovem agora se fez.
Foste a semente que com muito amor verde esperança de sonhos plantei,
vejo-te desabrochando feliz e eu mais feliz porque a vida te dei.

Flores, perfumes, sorrisos e luz, cenário de sonhos e felicidade.
Tudo é alegria, ternura e canção, na passarela restou a saudade.
Rodas agora com quem tanto quis, ver-te tão linda entre flores fulgir
e neste dia de sonho incomum cantemos todos então a sorrir.

Rodar, rodar neste imenso jardim, rodar, rodar sorrindo pra mim.


Sarau de prendas de
1993


Mariane Soares
Ex-primeira prenda da 27ª Região Tradicionalista Professora, Instrutora da Invernada Artística do CTG Rodeio Serrano, Diretora do Departamento Cultural do CTG 


• Publicado na Revista Usina da Cultura - número 06 - Outubro de 2013

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Visual com Arte: Pintura Corporal - por Caroline Patueli Vargas

Artista: Caroline  Patueli Vargas, Rio de Janeiro/ RJ Caroline é modelo, artista e fotógrafa de suas próprias artes! Leva de 4...

Dança, uma história em cinco minutos - por Thiago Alves de Souza

“Dance primeiro, pense depois. É a ordem natural.” - Samuel Beckett (Escritor irlandês) A dança simplesmente existe. Ela não pode ser considerada...

São Chico Beatle Weekend pelos olhos de uma serrana

Depois dos últimos três dias ainda me sinto meio anestesiada. Que final de semana! Posso defini-lo em uma única palavra:...

Por mais terras que percorra - por Rosana Martins

Aos setenta anos de idade ele chorava. Sentado, na sala, em frente a TV. Era oito de maio, dia da...

Carregando a mochila da forma certa - por Lisiane Inês Thewes

Do nascimento até o fim da adolescência, há uma grande variação fisiológica na postura e na mobilidade da coluna. Por...

Lara & JackPot Band - Trouble

Sobre o artista: Suponha que Hendrix, Stevie Ray Vaughan e Rory Gallagher, pela ajuda de uma força superior ou por uma...

As lobas também querem voar - por Andrea Dórea

Quase dois anos atrás, em uma tarde de inverno, alguém tocou a campainha insistentemente, me fazendo sair a contragosto da...

Liberdade, liberdade, liberdade! - por Mateus Barcelos

Maressa sonhava com dias melhores, e tinha certeza de que eles viriam. Imaginava pra si própria um mundo de sonhos...

O que é Desenvolvimento Rural? - por Mateus Barcelos

O termo “desenvolvimento rural” tem sido utilizado em diversos espaços, assim como também tem recebido inúmeras definições, que vão do...

Uso do particípio - por Aline Aguiar

Uso do particípio O particípio é a forma nominal do verbo que expressa ações plenamente concluídas. Em sua forma regular, o...

Patrocinadores da cultura