Teatro Lambe-Lambe - por Andrea Dórea

Teatro Lambe-Lambe - por Andrea Dórea

Cheguei  ao local da oficina no primeiro dia, e cheia de curiosidade comecei a preparar o equipamento, olhos e ouvidos atentos ao movimento dos oficineiros do coletivo Eu Amo a Rua e de seus alunos. 

Eu já imaginava que as próximas cinco semanas seriam muito interessantes, pois iria fotografar o desenvolvimento de um projeto de teatro Lambe-Lambe em todas as suas etapas.

O teatro Lambe-Lambe recebeu este nome devido ao seu formato, similar às máquinas fotográficas usadas no início do século XX.

Dentro das pequenas caixas cênicas apoiadas em tripés, se desenrolam as histórias, que são assistidas por uma pessoa por vez. Para conhecer a história é preciso se aproximar e olhar pela fresta da caixa e então, a mágica acontece. No pequeno cenário, preparado com primor com detalhes como iluminação, trilha sonora e personagens encantadores;  enredos curtinhos são apresentados.

O trabalho do coletivo carioca Eu Amo a Rua  é envolvente e criativo, e suas intervenções acontecem nas ruas das cidades, onde procuram levar para o público a cultura daquele lugar, suas histórias e personagens.  A simpatia e sensibilidade do grupo torna as oficinas em que os projetos são desenvolvidos experiências ricas  e divertidas.

Durante cinco semanas eu presenciei,  com uma pontinha de inveja, confesso, a trajetória dos alunos fazendo aula de teatro de sombras; escrevendo roteiro; desenhando personagens; pesquisando a cultura da cidade e as histórias que permeiam seu imaginário; confeccionando caixas cênicas; gravando trilhas sonoras e finalmente, ganhando as ruas. 

O prazer veio de fotografar e aprender com este grupo incrível. Eu não pude fazer minha caixa cênica, mas estava lá com meu tripé e minha câmera, capturando detalhes, sorrisos e arte de primeira qualidade.  Me deixei levar pela fantasia, viajei no tempo e me imaginei uma fotógrafa Lambe-Lambe, lá no início do século XX. 

SERVIÇO
Texto e fotos:  Andrea Dórea
http://www.andreadorea.com/

Coletivo Eu Amo a Rua
https://www.facebook.com/coletivoeuamoarua/

Agradecimento:  Sesc Paraty – RJ
https://www.facebook.com/sescparaty/

Imagens: Oficina de Teatro Lambe Lambe

Andrea Dórea é artista plástica, fotógrafa, graduada em Letras Espanhol e Literaturas. Nascida no Rio de Janeiro e radicada em São Paulo, viveu também no Rio Grande do Sul durante sete anos. Desde os anos 90 produz peças artísticas traduzidas em pinturas, desenhos, esculturas e objetos; além de fotografias feitas nas ruas, em grandes eventos ou em apresentações artísticas de dança, música ou teatro. Sua paixão pela literatura a levou a estudar Letras e a produzir textos em forma de contos, crônicas, poemas e relatos. Seu trabalho reflete um interesse profundo pelas questões humanas, as artes e a cultura. A versatilidade da artista lhe permite mesclar técnicas e linguagens, algo recorrente em suas obras. 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Sociedade civil apresenta minuta de lei de proteção de animais

Uma minuta de lei de proteção aos animais foi entregue na tarde desta quarta-feira, 9 de agosto, à advogada do...

Atividades - Cão curioso

O cachorro abaixo foi montado com 11 palitos de fósforo. Como fazer ele olhar para outro lado movendo apenas dois...

Bolo de 1 litro de leite - por Gabi Figueredo

Quando minha mãe chegou em casa com esta receita eu era adolescente é já tinha uma certa noção de culinária...

Rincão Poético: Pai um amigo - por Eronilda Cândida Santos Lucena

PAI,UM AMIGO OU CHEFE.   Ser pai é ter responsabilidade  É dividir sonhos e alegrias  Comemorar vitórias e enfrentar derrotas  Sem perder...

Nem é do Renato - por Franco Vasconcellos

Recebi, em casa, numa dessas noites de frio, oito ou nove adolescentes. Me enlouqueceram durante a semana e organizaram uma...

Para você ser feliz aos domingos - por Karine Klein

Encontre um trabalho que você ame. É sério. Corra atrás de algo que verdadeiramente faz seus olhos brilharem. Se não...

Visual com Arte: Óleo sobre tela - por Antônio Moacir Oliveira

Pintura feita pelo artista Antônio Moacir Oliveira, mais conhecido por Katuba na cidade de São Francisco de Paula. Uma homenagem...

Livro - Cem Anos de Solidão - Gabriel García Marquez

“Cem anos de solidão”, de Gabriel García Marquez, Prêmio Nobel de Literatura em 1982, é considerada uma das obras mais...

As luzes ainda estão acesas - por Elena Cárdenas

Feliz Ano Novo! Já estamos em 2015 e a imagem das festas natalinas está, ainda, muito forte em nossa memória. Continuamos...

Batalha dos Porongos - Uma data histórica, recheada de dúvidas... - por Léo Ribeiro

No último dia 14 de novembro comemorou-se 170 anos de um fato histórico, político e social de muita relevância dentro...

Patrocinadores da cultura