Estar solteiro: bom ou ruim - por Douglas Blanca

Estar solteiro: bom ou ruim - por Douglas Blanca

Logo no final das férias acadêmicas desse ano, vendo alguns posts nas redes sociais, pude perceber que para algumas pessoas, estar solteiro é um fardo muito pesado, ou uma cruz gigantesca nas costas. Por essas e outras, resolvi descrever sobre esse assunto. Sobre o que realmente acho sobre “estar só”. 

Pois, ao estarmos solteiros, necessariamente, não estamos sós, e isso independe de outro alguém ao lado, apenas estamos curtindo um pouco mais da nossa própria companhia, nossos próprios momentos. 

Estar solteiro, quando você está bem e feliz, não é nada demais, não tem nenhuma semelhança com a "caretice". Ao contrário, às vezes, é até melhor que estar com alguém só por “convenções”, acomodação e costume. Estar só ou acompanhado só vale a pena se isso implicar em estar feliz e bem nada mais. Qualquer coisa, fora essas duas sensações, é melhor não estar, é melhor nem arriscar.



E viva a solteirice permitida, curtida e sem muitas neuras, por que estar com você mesmo também é muito bom. APRENDA! É tempo de amar-se enquanto não compartilha do seu amor com outro. Por isso, o objetivo não é estar, encontrar, ficar com alguém, a meta deve ser sempre estar, encontrar e ficar BEM e em PAZ consigo mesmo, pois assim tudo se torna mais leve, tranqüilo e sem grandes aborrecimentos, inclusive a sua espera ou busca pelo outro.

Não se engane, estar preenchido e completo vai além de estar com alguém ao lado.

Se estiver só, aproveite esse momento para se curtir, amar, valorizar e fortalecer o íntimo. Para quando encontrar o companheiro (a), ele (a) seja apenas um querido parceiro em sua alegria de viver, e não, a sua vida. É preciso aprender que precisamos viver com alguém e não para alguém, pois a única pessoa que devemos viver exclusivamente e incondicionalmente pra ela, somos nós mesmos.

Douglas B. Torres Blanca

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

O Reflexo Da Nossa Identidade - por Fabiana Souza

Na  busca pela nossa identidade, o espelho emerge da Mitologia Grega banhado pelas águas que hipnotizaram Narciso. O diálogo entre o...

Olho tudo, boca tudo. Pode? - por Giulia Aimi

Carnaval chegando, muitas cores e muito glitter, eis que surge a dúvida: posso usar olho tudo e boca tudo? Com...

Visita pelo mundo Maia - por Daniel Slomp

Ao pensarmos no México logo vem à mente tequila, sombreros, fiestas coloridas, Chaves & Chapolin e desertos áridos, contudo se...

Gyrokinesis® - por Manuela Coimbra Pinto

Força, fluidez, flexibilidade, equilíbrio, coordenação, respiração e movimento: tudo isso reunido numa mesma atividade física, que trabalha corpo e mente...

Mea-culpa/ O deficiente sou eu - por Franco Vasconcellos

Sempre bati no peito, orgulhoso, por ser livre de preconceitos, por não ser como as outras pessoas. Hoje, me envergonho...

Aleitamento Materno - por Maria do Carmo Fraga

Nem precisa  indicar o caminho. Basta pegar no colo e com o beicinho rijo vem tateando o bico. Um instante...

Celebração do Ano Novo Tibetano

É com muita alegria que o Khadro Ling realizará a apresentação pública de danças sagradas tradicionais, no dia 18 de...

A Fênix Vermelha e a Prosperidade - por Fabiana Souza

A proporção das formas ideais, representada pelos quatro animais sagrados da cultura chinesa, gera a perfeita interação entre as energias...

Patê de ervas finas - por Fabíola Frezza Andriola

Ingredientes: - 250 gr de maionese light (ou requeijão light) - 1 dente de alho - 1/2 unidade de cebola...

Ano novo, vida nova! - por Fabiana Souza

Ano novo é tempo de promessas e esperança, compromissos e mudança. No “brinde da virada”, prometemos ser mais humanos e...

Patrocinadores da cultura