Rincão Poético: Jeito Orestes Leite de ser - por José Luis do Nascimento

Rincão Poético: Jeito Orestes Leite de ser - por José Luis do Nascimento

 

No ano de 1964,
lá no Bairro do Rincão
nascia uma instituição
que se dedicaria ao ensino,
acolhendo meninas e meninos
daquela localidade.
Orgulho de nossa cidade,
Orestes Leite é seu nome,
uma instituição de renome
a serviço da comunidade.
São 50 anos de história,
que hoje comemoramos
E, juntos, nós demonstramos
nosso orgulho e nossas glórias.
Se juntam a nós neste momento
alunos e professoras,
também ex-diretoras,
para prestigiar este evento.
Sabemos que o alimento
para o cérebro, para a mente,
é mesmo a bela semente
dos nossos ensinamentos.
Pois, para o nosso deleite,
como educador e guerreiro,
o jeito de ser brasileiro
é sendo Orestes Leite.



 

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ORESTES LEITE
SÃO FRANCISCO DE PAULA

A Escola Estadual de Ensino Fundamental ORESTES LEITE  foi criada pelo Decreto nº 16.398, de 31/12/63, com a então denominação de GRUPO ESCOLAR DE BAIRRO RINCÃO. Iniciou suas atividades em 02/03/64, com o corpo docente constituído de 4 professoras: FRANCISCA LAURA PIRES GUIMARÃES, MARIA JANE DA SILVA PEDROSO, TEREZINHA MAUSSMANN TEIXEIRA AMORETTI e MARIA SUELY DA SILVA STEIN. A matrícula inicial era de 162 alunos. Também contava com duas funcionárias para afazeres domésticos.

A Escola funcionava num prédio de madeira, de propriedade do Sr. João Batista dos Reis Filho. As dependências constavam de 4 salas, sendo uma delas no sótão. Na varanda, funcionavam a Secretaria, Sala da Direção, cozinha e refeitório. Não havia instalação hidráulica: a água era trazida em baldes, de uma vertente.

Em 13/02/65, a Escola passou a denominar-se GRUPO ESCOLAR ORESTES LEITE.

Em 25/04/70, foram realizadas as solenidades de inauguração do novo prédio escolar, que possuía 4 salas de aula,  Secretaria, Cozinha e instalações sanitárias. O ato solene teve a presença do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado, Coronel Walter Perachi Barcellos, do Prefeito Municipal, Senhor Orival Ventura Maciel, Senhora Brunhilde Leite, esposa do Patrono, além de professores e membros da comunidade escolar.

O novo prédio recebeu a bênção dos eclesiásticos Padre Hilário Joel Piazza e reverendo Nilton Vergara. A Diretora da Escola era a Professora Francisca Laura Pires Guimarães. Nessa ocasião, a Escola contava com 13 professoras, 227 alunos e duas funcionárias.

Em 16 de outubro de 1979, a Escola foi reorganizada, passando a denominar-se ESCOLA ESTADUAL DE 1º GRAU INCOMPLETO ORESTES LEITE.

Em 26/01/1993, foi autorizado o funcionamento da 6ª série, pois até então, a Escola oferecia ensino somente até a 5ª série do 1º grau.

A classe de Pré-Escola, que já funcionava desde 1972, teve sua autorização de funcionamento em 08/06/1993.

Já em 19/12/1995, foi autorizado o funcionamento da 7ª e 8ª séries. Assim sendo, no dia 08/01/98, a Escola realizou as solenidades de colação de grau da 1ª turma de concluintes da 8ª série.

Em 11/01/96, a Escola passou a denominar-se ESCOLA ESTADUAL DE 1º GRAU ORESTES LEITE.

Atualmente, a Escola conta com 17 professoras, duas estagiárias e 5 funcionários. A matrícula atual é de 240 alunos, distribuídos da Educação Infantil até a 8ª série.

Como entidades representativas da comunidade escolar e por ela eleitos, a escola possui, em plena atividade, o Conselho Escolar (cuja Presidenta é a professora Carla Rejane Pinto Marques) e o CPM (Círculo de Pais e Mestres – cuja Presidenta é a Agente Educacional Andréia Bernardo dos Santos).

A Diretora da Escola é a professora THAIS FRANCISCA VELHO HUGENTOBLER, tendo como Vices as professoras EVA MARGARETE RIBEIRO DOS SANTOS (manhã) e RITA MÔNICA DEMENEGHI MARTINI (tarde). Também atua na parte administrativa a professora CARLA REJANE PINTO MARQUES (Supervisora Escolar – tarde). A escola tem como lema EDUCAR PARA CONSTRUIR E TRANSFORMAR.

• Poesia publicada na Revista Usina da Cultura - número 18 - Outubro de 2014

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Sobre a Amazônia e a revolta do hambúrguer - por Rodrigo Cambará Printes, Rafaela Biehl Printes & Camila Caumo. 

Parece incrível que descendo de barco o Rio Tapajós, no coração da Amazônia, você possa chegar às ruínas de uma...

51 Vestidos - por Elena Cárdenas

Talvez, quando ler, você pode pensar que este é o título de um filme, ou mesmo um registro de alguém...

Citação - por Cassio Schaefer

Não tenho boas palavras para um aborto o homem anda numa nevasca terrível congelando até sua alma de pescador trás...

A importância da alimentação adequada - por Fabiana Souza

Quando eu nasci, meu pai já padecia os males de uma saúde frágil. Aos 18 anos, ainda no quartel, ele...

Alimentos termogênicos ajudam a queimar mais calorias - por Fabíola Frezza Andriola

Quando o friozinho chega, uma série de fatores parece se unir a fim de dificultar a dieta. Passamos mais tempo...

Eu e minhas outras... - por Esther Luisa Guthartz

Detenho o movimento constante para adiante, e descubro uma coleção de personalidades que mostrei ao longo da minha vida. Como...

“Se você não parar com isso vai apanhar...” • Parte VI - por Thainá Rocha

A maior dúvida dos pais é: o que fazer quando, depois de explicar as regras e de mostrar os seus...

O planeta está doente - por Sérgio Marino

Há muito tempo se ouve que o planeta está em apuros, mas nunca se falou tanto sobre o meio ambiente...

Carnaval? Não, obrigada. - por Fabiana Souza

Quem tem um pouco mais de lucidez e tranquilidade na alma se angustia quando chega o Carnaval. A folia, forçada...

Ser águia - Fabrício Safadi

Em nosso nascedouro - este momento irrecuperável e inatingível em sua totalidade -, já devíamos saber que, apesar dos pesares...

Patrocinadores da cultura