Nós, as cores… - por Daísa Rossetto

Nós, as cores… - por Daísa Rossetto

Não limitemos as cores.

Que as cores não me limitem!

Sou todas elas, sou a mistura, a pintura fora da margem, fora da tela, depois da moldura.

Não limitam-me as cores que visto numa noite, como uma sentença anual. Sou todas elas, misturas dentro de mim, um arco-íris infinito, em expansão… Infinito.

Porque hoje a noite é fria, é sexta-feira, é inverno. E eu pinto todas as cores na dança dos dedos quando rabisco palavras.

Eu peço, aos céus, entre palavras escritas erradas, entre a (in)concordância e o sentido desfeito, que para os próximos tempos eu possa continuar inventando minhas próprias cores, entre a tinta da caneta e o amarelado do papel.

Porque para todos os princípios eu quero ser o início, a tela branca, todas as cores, todas as falas que vibram sem volume, no som calado.

Não limitemos as cores de uma noite. Deixa ser o tom do calor ou o tom do frio, deixa ser a cor do abraço apertado, da taça borbulhando, das frutas doces, dos beijos estalados, dos beijos demorados, dos beijos todos…

Deixa ser a cor que dança em mim e dança em você, quando a música toca sem sabermos de onde vem…

Deixa ser a cor do passado, do ontem. Das paixões que não chegaram a ser e daquelas que ficaram pela metade na cidade dos estudantes. Deixa ser a cor do amor como for, como quiser ser, como tiver de ser.

Deixa ver a cor do voo da gaivota sobre mim e da pomba caminhando entre as crianças e os cães…

Deixemos ver o mundo em mil faces de luz, de branco que é a união de todas as cores. Apaguemos com a borracha da ponta do lápis, os tons infelizes da guerra, da violência, do mal sem face, sem cor…

Pintemos outra vez a rua, a praça, a igreja, o mar, os prédios desfeitos por bombas e tapas opressores.

Pintemos a cara com os tons que no mundo nos apetecem! E gritemos à vida que ela já não precisa nos esperar. Estamos vivendo, estamos pintando a rua, o dia, a noite e não precisamos nos limitar a cor da virada, não somos a sentença. Somos as cores que pintamos em nós. Pra dentro, ato feito, refeito, outra vez feito. Somos as cores. Nós, as cores…

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

É tempo de ouvidos ecléticos - por Karine Klein

A terra do Bugio e da música tradicionalista se abre para novos gêneros e estilos Nascedouro do tradicional festival que carrega...

Escondidinho de chester

Transforme as sobras da ceia em um novo prato!!Rende 10 porções Ingredientes: Purê 1 kg de mandioquinha (batata baroa) 1 caixa de...

Lago São Bernardo: local de lazer, turismo e práticas corporais - por Rodrigo Koch

O Lago São Bernardo é o principal “cartão postal” da cidade de São Francisco de Pau- la e, por este...

Novos Talentos nos Esportes - por Reinaldo Wanke

"O esporte tem um resultado significativo no desenvolvimento de um cidadão e muitos ensinamentos vão acompanha-lo pelo resto de sua...

Livro: Outonos

Texto: Evanise Gonçalves Bossle Outonos traz narrativas curtas e envolventes, colocando à nossa frente personagens com que nos deparamos cotidianamente e...

Durma bem com o Feng Shui - por Fabiana Souza

A qualidade do sono é fundamental para a saúde física e mental. Atualmente muitos fatores n aparecem como causadores da...

5 Dicas para um relacionamento feliz - por Ana Cruz

Por um mundo com menos “eu” e mais “nós”, por favor. Seja o namoro ou o casamento, em um relacionamento amoroso...

O Canal de Beagle - por Gilmar Hinchinck

Navegando nas turbulentas águas do fim do mundo... Todos Sabemos que nesse mundão temos uma grande variedade de lugares paradisíacos. Com...

Alimentos termogênicos ajudam a queimar mais calorias - por Fabíola Frezza Andriola

Quando o friozinho chega, uma série de fatores parece se unir a fim de dificultar a dieta. Passamos mais tempo...

Território preservado: A Estradinha - por Patrícia Viale

Gosto de caminhar com sol nas costas. No início caminho como exercício. Aos poucos cada passo torna-se um pensamento, que...

Patrocinadores da cultura