Para escrever... agora...  Por Daísa Rossetto

Para escrever... agora... Por Daísa Rossetto

Fale-me de literatura quando o feriado acabar. Entregue-me em Lisboa antes que o dia termine. Deixe a casa por desmoronar.  Deixe estar quem espera se desmanchar em amargas saudações passadas.
Deixe tudo como está. Repara bem onde está...
Demora, na biblioteca vazia... E demora no espirro que não sai.
Demora...
Demora...
Demora o prazo que não está para respeitar. Entrega a tua – tua – palavra como está. Como é ela para estar. (Eu quero dizer tua)
E então deixa a música tocar apenas... Unicamente nos ouvidos vermelhos de frio. O inverno começou sem ninguém avisar.
E a música continua... a tocar.
E de repente, toca o silêncio da sala o livro batendo na mesa e meus dedos apressados dedilhando teclas. A letra que escrevo. E depois o sino marcando hora cheia: 10:00.
Dizem que na próxima semana será outro ano. E há os que vestem branco.
E haverá talvez um novo livro, um nome errado. E um anseio latente de ser vento no mundo... No mundo...
Depois já é outro ano, outro livro, outra palavra riscando o silêncio da sala quase vazia. E o sol aparecido depois da madrugada em chuva e uma tal amargura por não deixar descansar os anos acumulados nas costas, um girar de cabeça que não descobre a verdadeira história. Um tempo fora das horas que se esgota sem uso, um tal tempo perdido de um livro que não foi lido até o fim. Então a demora é pressa. E a vida está presa num porão abandonado. E o amanhã não chega, demora e o ontem não tem permissão para voltar.  
Então eu me demoro. Neste tal do agora, na palavra agora, nas letras do agora. Numa versão errada do agora...
Escrevo pois não sei se o amanhã se demora, e eu não quero esparramar do meu tempo nesse palco de tribunal que martela sobre passado que poderia ter sido e futuro acumulado em banco e em dias sem uso. Eu não tenho pressa, já não...
Repara bem outra vez. Presta atenção no que digo: Agora. Em letra. Vou escrever... Agora...

27/12/2017

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Torta fria de atum - por Rosangela Valim Traslatti

Ingredientes: 1 Pão de sanduíche 2 Latas de atum 1 Vidro de maionese (500 g) 1 Vidro de pepino em...

Atividade física sem sair de casa - por Amanda Pessôa

Já pensou fazer exercício sem sair de casa?  Falta de tempo, ou não se adaptar a academia não são desculpas para...

Levantamento de Peso - por Amanda Pessôa

Quer conhecer os atletas mais fortes do Mundo Olímpico? Fique de olho na modalidade de Levantamento de Peso nas Olimpíadas...

Prazer sem culpa - por Cristiane Cichelero Allgayer

Você já parou para pensar o por que, apesar de tanta informação acerca de nutrição e emagrecimento e da enorme...

A cidade dos resmungos

Era uma vez um lugar chamado Cidade dos Resmungos, onde todos resmungavam. No verão, resmungavam que estava muito quente. No...

Aleitamento Materno - por Maria do Carmo Fraga

Nem precisa  indicar o caminho. Basta pegar no colo e com o beicinho rijo vem tateando o bico. Um instante...

Visual com Arte: Óleo sobre tela - por Antônio Moacir Oliveira

Pintura feita pelo artista Antônio Moacir Oliveira, mais conhecido por Katuba na cidade de São Francisco de Paula. Uma homenagem...

Dicas para um envelhecimento saudável - por Fabíola Frezza Andríola

Todos sabemos que o processo de envelhecimento é muito complexo e por isto não existe uma “pílula mágica” que acabe...

Rincão Poético: A vida é linda - por Milena Castilhos

A vida é linda: O lindo pairar De um beija-flor, O lindo som De um beijo de amor O lindo olhar...

Música - Julio Rizzo e Pata de Elefante

A banda gaúcha de rock instrumental Pata de Elefante encerrou carreira no ano passado, mas deixou este álbum, com a...

Patrocinadores da cultura