As luzes ainda estão acesas - por Elena Cárdenas

As luzes ainda estão acesas - por Elena Cárdenas

Feliz Ano Novo! Já estamos em 2015 e a imagem das festas natalinas está, ainda, muito forte em nossa memória.

Continuamos a ver brilhar em várias cidades as luzes enfeitando as ruas. Isto me levou a pensar na quantidade de luzes acesas e o consumo que isso implica. Por isso decidi investigar respeito a que tipos de luzes são utilizadas normalmente. A verdade é que gostamos da iluminação para a festas mas, que efeitos este consumo de energia traz para o meio ambiente?

A parte positiva é que descobri que o uso da iluminação Led está se fazendo extensivo e que as prefeituras utilizam esta tecnologia tanto na iluminação das ruas, quanto nas festas.

Características deste tipo de iluminação:

LED - Light Emiting Diode - Diodo emissor de luz

• O consumo de energia é menor que o das lâmpadas convencionais (poupança de 60 a 80% de energia).
• Maior duração que as lâmpadas convencionais (50 vezes mais).
• As lâmpadas são fabricadas com materiais recicláveis, reduzindo assim as emissões de CO2. • A luz é intensa e agradável.

Mesmo que esta seja uma descrição um pouco técnica, dá alívio saber que cada dia mais os governos são conscientes dos temas relativos ao meio ambiente e ao consumo, seja na iluminação das ruas ou nos edifícios oficiais.

Deixando de lado as questões práticas, temos que reconhecer que as festas de final de ano têm proporcionado uma grande sinfonia de luzes e colorido percorrendo as ruas da cidade. Com toda essa luz, podemos pensar em começar um novo ano cheio de energia e dinamismo.

Sei que no Rio Grande do Sul existem cidades belamente iluminadas nas épocas de Natal e Ano Novo, as quais tive a oportunidade de conhecer pessoalmente! Mas, não poderia terminar este artigo sem uma mostra da iluminação que ainda brilha nas ruas de meu país.

Elena Cárdenas,
Designer, comunicadora e escritora vocacional. Apaixonada pela serra gaúcha e por seu país, Espanha, reside em Barcelona atualmente, mas se considera uma cidadã do mundo.

• Publicado na Revista Usina da Cultura - número 20 - Janeiro de 2015

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Rincão Poético: Desconectei-me - por Evanise Gonçalves Bossle

Desconectei-me da TV, do FACE, do celular. Voltei a sorrir para as nuvens, seguindo por longas estradas. Desconectei-me do relógio...

Filtro de barro: saudável e econômico

Na era tecnológica, em que a tradição perde lugar para produtos modernos e multifuncionais, um estudo norte-americano provou que o...

A importância da Educação Física na Educação Infantil - por Amanda Pessôa

“Lutei para escapar da infância o mais cedo possível. E assim que consegui, voltei correndo pra ela.” - Orson Welles Ah! Já...

Sabia que...

Sabia que você pode distinguir entre um sorriso genuíno e um falso? O sorriso, ao contrário de todas as outras expressões...

Sunomono (ou saladinha de pepino japonês) - por Ana Sanchez Souza

Ingredientes: • 2 pepinos (tipo japonês) • 3 colheres (sopa) de tempero de arroz (molho su) • 1 colher (sopa) de...

O guri do nariz azul - por Franco Vasconcellos

Muitos mistérios assolam nossa existência terrena. A mente humana dá lugar aos mais variados questionamentos, sobre os mais diversos assuntos...

Torta de batata - por Mercedes Sanchez

Esta é uma receita típica da Argentina, muito servida em reuniões familiares e domingos. Lá a torta de batata é...

Uso do particípio - por Aline Aguiar

Uso do particípio O particípio é a forma nominal do verbo que expressa ações plenamente concluídas. Em sua forma regular, o...

Torta de abobrinha sem glúten - Gabi Figueredo

A receita de hoje é especial para os doentes celíacos, mas quem não tem a doença pode comer a vontade...

Fazendo meu filme • Paula Pimenta - por Isabela Sanchez

Já viu aquela história romântica e engraçada que te faz chorar, rir, sentir um pouco de raiva, chorar de novo...

Patrocinadores da cultura