Chile - Um país delineado pelo deserto - por Karine Vasem Klein

Chile - Um país delineado pelo deserto - por Karine Vasem Klein

Na edição passada contei para vocês um pouquinho do meu encanto ao descobrir o Peru, relatando o passeio no Lago Titicaca e nas Islas Flotantes de los Uros. Desta vez vou falar como foi conhecer o Chile. O que mais me chamou a atenção nesse país, nos lugares por onde passei e nas pessoas que conheci, foi a forma receptiva com que tratam os forasteiros. Porém o lugar que escolhi não foi propriamente onde conheci pessoas, mas sim um lugar que me deixou estupefata diante da imensidão e beleza. O Deserto de Atacama.



No meio do deserto tinha uma mão...

O Deserto de Atacama tem cerca de 200 Km de extensão e é considerado o mais árido e alto do mundo. Fica no norte do Chile até a fronteira com o Peru. Uma das atrações dele é La Mano Del Desierto, uma escultura com 11 metros de altura, que fica a 75 km ao sul da cidade de Antofagasta, na Rodovia Pan-Americana.

A Mão do Deserto feita pelo artista chileno Mario Irarrázabal foi confeccionada a base de ferro e cimento e inaugurada em 28 de março de 1992. Alguns consideram como intenção de Irarrázabal retratar um gigante saindo da terra, outros afirmam que a ideia era representar uma pessoa em meio a uma tempestade de areia, quando somente uma das mãos ainda não estava soterrada. Histórias a parte, o que se sabe ao certo é que La Mano Del Desierto é um monumento grandioso e impactante que chama ainda mais a atenção e aguça a curiosidade de quem avista, por ser o único ao longo de muitos quilômetros de areia. 

Infelizmente, muitos que passam pela mão, além de levar como recordação as fotos tiradas lá, deixam também marcas desagradáveis, como as pichações. Porém, nada disso interfere diante da originalidade da obra, que torna o Atacama um local ainda mais interessante e prova que se pode fazer arte até no deserto!

Karine Vasem Klein 
Estudante de jornalismo, apaixonada por fotografia, cinema e música. Sonha viver de contar histórias e agora descobriu que quer estar sempre na estrada. 

 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Como cuidar de seu jardim no outono? - por Roger França

Com a chegada da nova estação, o outono, os dias voltam a ter a mesma duração que as noites, e...

Rincão Poético: Desfolhando - por Angélica Mattos

E eis que o tempo não muito brando, Foi passando, passando, E o vento nada amigo, ventando, ventando, E solitário...

Visual com Arte: Minha arte, em 2004 - por Wilson Barbosa

“Minha arte, em 2004” Tela em acrílico sobre bagum Autor: Wilson Barbosa {loadmodule mod_custom,Banner adsense middle article}

Construções tridimensionais com “palitos de dente”

Olha que atividade legal de fazer em casa!!! Você vai precisar apenas de massinha colorida e palitos de dente. Além dos...

Visual com Arte: Pintura em tela - por Adriana Borella Pessoa

Técnica: Pintura em tela Mistura de técnicas sobre tela de MDF: textura, imagem, tecido e texto Adriana Borella Pessoa Pedagoga e Arte/educadora -...

O Eu de uma mirtácea - por Patrícia Viale

Território preservado Já invejei árvores mais nobres. Certo dia um biólogo puxou-me pelas folhas. “Eis uma mirtácea!”. Era ele um recém-formado...

Contorno e Iluminação - por Giulia Aimi

Hoje vamos falar de contorno e iluminação, importantíssimo na definição do rosto! Com essas duas técnicas, podemos destacar os pontos...

Sucessão ecológica: a vida em movimento - por Telmo Focht

Por sucessão entendemos como a mudança na composição das espécies e estrutura (ou a arquitetura/fisionomia) de uma comunidade vegetal ao...

Entre a ditadura e a democracia: 50 ANOS DO GOLPE DE 64 - por Cláudia Santos Duarte

Em 2014 completaram 50 anos do Golpe de 64, que instaurou a ditadura civil-militar no Brasil.  Para alguns, é novidade saber...

Visual com Arte - por Marco A. de Araújo Liesenfeld

Autor: Marco A. de Araújo Liesenfeld Técnica: Lápis de cor e Ecoline (aquarela líquida)  {loadmodule mod_custom,Banner adsense middle article}

Patrocinadores da cultura