Chutando o pau da barraca - por Franco Vasconcellos

Chutando o pau da barraca - por Franco Vasconcellos

Quando tinha apenas catorze anos, assisti “O cozinheiro, o ladrão, sua mulher e o amante”, rotulado como comédia dramática. Eu o rotulo como “inquietante”, até hoje. Conta de um gângster, que janta todas as noites num restaurante em companhia de seus capangas e sua esposa.

Cansada dos modos violentos e grosseiros do marido, ela flerta com outro frequentador do restaurante. Ao descobrir a traição, o chifrudo mata o amante… o faz engolir um livro, página por página. É o gatilho que dispara uma história cheia de diálogos incríveis. 

(Muitas vezes, ficamos resignados numa condição miserável, acostumados, quietinhos em nossa zona de conforto esperando que a “água bata na bunda”, para, somente aí, descobrirmos o quanto sabemos nadar. E quando essa descoberta acontece, tomamos conhecimento de que nossos limites vão muito além do que podíamos imaginar.



O confronto, geralmente tão adiado por receio de suas consequências, é inevitável e necessário. Tantas vezes, o “não querer se incomodar” acaba trazendo transtornos maiores que “chutar o balde e rodar a baiana”. Acabamos deixando para depois que as crianças crescerem, depois que tiverem concluído a faculdade, depois que o carro estiver quitado, ou quando vier aquela promoção. Os anos vão passando e cada vez mais a inércia vai pesando sobre os ombros.

Virar a mesa pode ser libertador. Como esperar da vida uma resposta diferente diante das mesmas e repetitivas atitudes? Mudar pode provocar no outro – e não falo somente de relacionamentos amorosos – aquela mudança com a qual tantas vezes sonhamos e que nos faria mais felizes.)

No filme, recheado de escatologias, Helen Mirren é magistral. Sem sombra de dúvidas, a sua cena final, o momento em que Georgina, seu personagem, decide que não será mais massacrada pelo marido - quando ela convence o chef a assar o seu amante para que este seja servido ao esposo – ambientada no salão do restaurante, apesar de grotesca é arrebatadora e aguardada pelo espectador.

Que a mudança parta de mim. Até dezembro.

Franco Vasconcellos e Souza, gaúcho de Erechim, escreve sobre o cotidiano e aceita sugestões dos leitores

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

O conceito de cultura nas ciências sociais - por Marcio Barcelos

Você já parou para pensar no significado da palavra “cultura”? Seria “cultura” uma coisa que a gente “adquire” assistindo filmes...

Inaugurado Mezanino da Biblioteca Pública Cyro Martins e Exposição Linha do Tempo- Gramado/RS

No mezanino da Biblioteca Cyro Martins, foi criado um espaço para a divulgação de livros que serão divulgados no 7º...

Bolo rápido doce infância - por Bárbara Brezolla da Luz

Ingredientes: 3 ovos ½ xícara (chá) de leite 1 xícara (chá) de açúcar ½ xícara (chá) de margarina derretida 1...

Atividades - O fantástico Sistema Solar

O Sistema SOLAR é formado pelo Sol, PLANETAS e seus SATÉLITES, e pequenos corpos que são: COMETAS, meteoros, ASTERÓIDES, entre...

Anéis de cebola

Ingredientes: - 4 cebolas grandes- 1 xícara de chá de farinha de trigo- 1 xícara de cerveja (250ml)- 1 ovo- Pimenta...

Arco-Jesus-Íris - por JackMichel

Na colorida época do Flower Power Satanás decide visitar o arco-íris psicodélico de Jesus Cristo e, lá chegando, o louro...

O que é Desenvolvimento Rural? - por Mateus Barcelos

O termo “desenvolvimento rural” tem sido utilizado em diversos espaços, assim como também tem recebido inúmeras definições, que vão do...

Maze Runner - Correr ou morrer - por Isabela Sanchez

Com o best-seller que virou filme, James Dashner nos traz a história de Thomas, um garoto que está sem memória...

Livro - Manual do Caroneiro - por Felipe Baierle

Já passou pela sua cabeça ir até a rodovia mais próxima, esticar o dedão e seguir de carona até aquele...

5 de Setembro - Dia da Amazônia

Para celebrar o dia da Amazônia (05 de Setembro) a Usina fez a seleção das mais belas fotos da maior...

Patrocinadores da cultura