Ser águia - Fabrício Safadi

Ser águia - Fabrício Safadi

Em nosso nascedouro - este momento irrecuperável e inatingível em sua totalidade -, já devíamos saber que, apesar dos pesares, nunca é tarde para aprender algo novo em nossa sinuosa estrada em constante manutenção. Entretanto, se soubéssemos disto mais cedo do que o usual, poderíamos deixar de aprender várias fórmulas matemáticas, diversas esquematizações abstratas, inúmeras técnicas de ciclismo que salvaguardassem os nossos joelhos e cotovelos quando crianças. Afinal de contas, esta crendice referida na linha primeira nos faz afirmar a teleologia de nossos saberes.

Em outras palavras, faz com que creiamos na existência de uma confiança depositada sobre a esotérica presunção de nossos sentidos na qual afirma, de forma acintosa, que o futuro deve e vai se encarregar de atualizar nosso manual de instruções com algum novo aprendizado ou lição, como Anjo Gabriel ao pé do ouvido de Maomé.

Neste sentido, enveredando por esta senda, podemos ser vítimas de nosso próprio engodo. O tempo passa, a noite beija o dia, o dia trai a noite em uma adúltera relação com a Lua (muito raramente), e o que temos em mãos é muito pouco perto do que desejávamos.   



Observe-se a águia, este animal imponente, visionário, altivo e orgulhoso, que, certa feita, no inverno de sua vida procura uma altíssima montanha para sacrificar, contra as inanimadas rochas, as feições de suas garras e a protuberância de seu bico amarelo, tal qual o diadema de uma bela princesa. Eis o que devemos saber, mesmo sendo tarde.

O sacrifício dolorido de um animal que se recria com seus movimentos bruscos, vestindo armadura alvinegra, dona de um pescoço branco, tão limpo quanto a áurea de um santo. Exaltações à parte, admiremo-las, enaltecemo-las, aprendamos com elas a arte de renovar-se, a experiência de refletir sobre nossa própria vida. Todos nós precisamos encontrar a rocha da renovação, sem deixar de fora o nosso fio de Ariadne, nosso passaporte para o recomeço de tudo.

Enfim, se o mutismo esvoaçante desse belo pássaro fosse capaz de nos dizer algo em palavras, diria o seguinte: “Sigam em frente!”, “Olhem bem!”, “Pensem no que estão a fazer”, “Em disparada!”, “Sapere Aude!”. Para tanto, diria tudo em alto e bom som, sem referência bibliográfica alguma. Quem é sublime e está tão alto não se importa com as regras daqui de baixo. E com razão.

Fabrício Safadi - Novo Hamburgo, RS

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

A Xerife de Getúlio - por Franco Vasconcellos

Brilhante e dourada, habitava certa lapela que passeava pelos corredores do colégio, impondo-se como símbolo de autoridade - e olha...

O Uso de Espelhos no Feng Shui - Por Fabiana Souza

De acordo com as técnicas do Feng Shui Tradicional, a utilização de espelhos na decoração deve ser bastante cautelosa. A...

Musicoterapia - por Juliana Gomes

A Musicoterapia é uma terapêutica que visa, através de seus componentes – ritmo, melodia e harmonia - a colaborar no...

Levantamento de Peso - por Amanda Pessôa

Quer conhecer os atletas mais fortes do Mundo Olímpico? Fique de olho na modalidade de Levantamento de Peso nas Olimpíadas...

Um toque românico no ambiente para celebrar o amor - por Fabiana Souza

Que tal preparar a casa para celebrar o amor? Aqui vão algumas dicas para você compor a decoração da sua...

O planeta está doente - por Sérgio Marino

Há muito tempo se ouve que o planeta está em apuros, mas nunca se falou tanto sobre o meio ambiente...

A Crônica da Vez: Preconceito - por Gustavo Maffiolet Foss e Jéssica Carolina Gomes

Vivemos em um mundo cheio de preconceitos, onde todos julgam e ninguém admite ser julgado. As pessoas caminham pelas ruas julgando...

Desenvolvimento da capacidade criadora através da arte - por Mercedes Sanchez

A arte é uma atividade dinâmica e integradora, com um papel fundamental na educação. O desenho, a pintura, a música, o teatro..., conformam...

O interesse ou as ideias nos governam? - por Luís Osório Cardoso de Moraes

Pode-se dizer, mais acertadamente, que pelas ideias, pela ideologia, que dá operacionalidade àquele interesse - até então - mera potencialidade...

Rincão Poético: Haicai

O que é? O haicai é um poema de origem japonesa, que chegou ao Brasil no século XX. É composto...

Patrocinadores da cultura