A Pedra no caminho - por William J. Bennett

A Pedra no caminho - por William J. Bennett

  Conta a lenda de um rei muito sábio que não poupava esforços para inculcar bons hábitos nos seus súbditos.   

— Nada de bom pode vir a uma nação — dizia ele — cujo povo reclama e espera que outros resolvam os seus problemas. Uma noite, pôs uma enorme pedra na estrada que passava pelo palácio. Escondeu-se e esperou para ver o que acontecia.    

Primeiro, veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes.     — Onde já se viu tamanho descuido? — disse ele, enquanto contornava a pedra. — Por que motivo esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra? E continuou a reclamar…   

Logo surgiu um jovem soldado. Ele pensava na extraordinária coragem que revelaria na guerra. Distraído, tropeçou e estatelou-se no chão. Ergueu-se furioso com os preguiçosos que haviam deixado uma pedra na estrada.  Todos os que por ali passavam reclamavam, mas ninguém tocava na pedra.    

Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro passou pelo local. Era muito trabalhadora e estava cansada. Mas disse consigo: "Já está escurecendo. Alguém pode ferir-se. Vou tirar essa pedra do caminho.” Era muito pesada, mas a moça empurrou até que conseguiu retirá-la. Para sua surpresa, encontrou uma caixa cheia de ouro debaixo da pedra, com os seguintes dizeres: "Esta caixa pertence a quem retirar a pedra.” A filha do moleiro foi para casa com o coração cheio de alegria.

Quando todos os outros ouviram o que havia ocorrido, juntaram- se em torno do local. Revolveram com os pés o pó da estrada, na esperança de encontrarem ouro.    
— Meus amigos — disse o rei — com frequência encontramos obstáculos e fardos no nosso caminho. Podemos reclamar enquanto nos desviamos deles, ou podemos retirá-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.  Então, o sábio rei montou no seu cavalo e, dando delicadamente as boas- noites, retirou-se. 

William J. Bennett 
O Livro das Virtudes II 
Editora Nova Fronteira, 1996  (adaptação)
http://www.portaldacrianca.com.pt/ler1historiap.php?id=2

 

 

 

 

 

 

 



O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

As Mensagens Ocultas na Água - por Fabiana Souza

Água exposta à música Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky Quem teve a oportunidade de assistir ao documentário “Quem somos nós?” (“What...

Ratatouille

Receita de comida de cinema Originária da Provença, a ratatouille é um dos clássicos da cozinha francesa e um excelente exemplo da comida...

Nuggets Funcionais

Receita de acupunturaebeleza.com Ingredientes: 200 gramas de frango cozido 2 colheres de sopa de quinoa em flocos 1 colher de sobremesa de...

Uso do verbo haver - por Aline Aguiar

- O verbo haver no sentido de ocorrer e existir é impessoal, ou seja, permanece na terceira pessoa do singular...

San Juan, São João!! - por Elena Cárdenas

Junho é tempo de longos dias de verão, de sol, de praia e de uma festa muito celebrada, especialmente na zona...

Uso dos porquês - por Aline Aguiar

1º caso: Por que Usa-se o porquê separado e sem acento (por que), sempre que houver a possibilidade de substituí-lo pelas...

Descobrindo as Relíquias Mineiras - por Lilian Lutz Lindorfer

Cidades Históricas A menos de 100 km de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, inicia a jornada a caminho das importantes...

Carnaval da Escola Castelo Branco

No dia 3 de março foi organizado, na EMEF Presidente Castelo Branco, um baile de carnaval. A escola foi decorada...

Um lar e uma família - por Laerte Santos

Tenho sistematicamente abordado o assunto FAMÍLIA em minhas palestras. Na última semana sugeri ao auditório lotado, de que todos ali...

São Jorge, Goiás - por Glauber Vieira Ferreira

São Jorge é um povoado do norte goiano, pertencente à Alto Paraíso de Goiás. Não chega a mil habitantes e...

Patrocinadores da cultura