Nossas Lendas V (A lenda do João de Barro) - por Marcelo Oliveira

Nossas Lendas V (A lenda do João de Barro) - por Marcelo Oliveira

Conta uma antiga lenda indígena, que há muito tempo um jovem e valente índio chamado Jaebé de uma tribo do sul do Brasil apaixonou-se pela jovem mais linda de sua tribo. Ele então foi ao pai da jovem, um dos índios mais velhos e por ocasião um líder da tribo, e pediu para se casar com ela.

O velho índio lhe perguntou:

- Que prova pode dar de tua força para que eu permita que se case com minha filha, a jovem mais bela da tribo?

- A prova do meu amor – respondeu Jaebé.

O velho índio mesmo gostando da resposta achou o jovem atrevido. E se colocando olho a olho lhe disse:

- O último guerreiro disse que ele ficaria cinco dias sem comer nada, este morreu no quarto dia. Teu a amor pode suportar tamanho desafio?

- Cinco não, pois digo que ficarei nove dias sem nada comer e não morrei. – fala o jovem sem tremer a voz.

Então, todos na tribo ficaram espantados com a tamanha coragem do jovem índio, o velho índio ordenou que a prova começasse imediatamente. Enfrente a todos da tribo ele foi enrolado em uma grossa pele de anta e assentaram guarda para que ele não saísse ou fosse alimentado. A bela índia por que Jaebé apaixonara-se acompanhava entrega do dele e seu coração se agitava, ela sabia que estava sentindo amor tamanho e reciproco por ele. 

Ao sol do quinto dia a moça foi até seu pai e suplicou que o liberasse da prova a fim de preservar a vida dele. Ele já suportara mais que o último e provara sua força. O velho não aceitou o pedido da filha, e lhe disse:

- É um jovem arrogante que fala da força do amor, então vamos esperar para ver o que a força do amor vai fazer por ele.

A jovem índia pedia todas as noites para que a deusa Lua salvasse o determinado Jaebé, e assim foi até a final nona noite, quando então seu pai disse para que desenrolassem o couro. Após alguns instantes o jovem se pôs de pé rapidamente, estava com aparência mais sadia do que no primeiro dia, seus olhos brilhavam e tinha um sorriso terno e feliz. Isso já era algo suficiente para que todos ficassem espantados, mas ele começou a cantar como um passarinho e quando sua amada apareceu ele começou pouco a pouco a se transformar em um pássaro. Penas brotaram em seu corpo e seus braços estendidos agora eram assas. Ele bateu suas assas e cantando levantou voo para dentro da floresta. Sua amada que observava tudo admirada e feliz ao ser tocada pela luz da lua viu seu corpo ganhar as formas de pássaro também, ela então seguiu o canto de seu amado e desapareceu na mata atrás dele. 

Desde então o João de Barro constrói uma casa onde protege sua amada e seus filhos e para que todos que vejam lembre-se da força do jovem Jaebé e seu amor que superou até tudo, até a morte.

Marcelo Oliveira, mora em São Francisco de Paula e estuda Gestão Ambiental. Ler e escrever são paixões. O tema? O que o mundo lhe apresentar.

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Caminantes - Por los caminos de Santiago de Compostela - por Patrícia Vieira Reis

Desde guria sempre amei viajar. Botar o pé na estrada, desbravar novos lugares e conviver com as diferenças sempre me fascinaram...

Conta conto - Construa com Sabedoria - por Valtair Freitas

Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar. Ele informou ao chefe seu desejo de sair da indústria de construção...

Rincão Poético: Usina da cultura, fábrica de sonhos - por Valdecir Minuscoli

Usina da cultura Fabrica de sonhos Páginas de aventuras Viagem ao centro da alma Buscando conhecimento Mistura entretenimento Com um...

Alimentação adequada e saudável - por Celina Valderez

"Alimentar-se não é apenas “engolir nutrientes”. É um conjunto de práticas que envolvem a escolha dos alimentos,  como eles  são...

São Chico: tradição e modernidade - por Marisa Fernandes Nunes

Foto: Angela Teixeira Cada pedaço de caminho da avenida principal de S. Chico conta uma história da cidade e dos seus...

Harley Davidson Days Barcelona 2014 - por Elena Cárdenas

Aposto que se eu mencionar a música Born to be Wild (Steppenwolf ) virá à mente a imagem de Peter...

Este fim de semana tem Festival do Ronco do Bugio na Serra!

VER PROGRAMAÇÃO O Bugio é o único ritmo genuíno do RS, diferente de outro tantos que receberam influência de países vizinhos...

A Argentina que poucos brasileiros conhecem - por Aline Pires

A Quebrada de Humahuaca, pertencente à província de Jujuy, é um vale árido conhecido por sua colonização Inca e por...

Música - Catavento

A Catavento, formada por Leonardo Rech (guitarra/voz), Leonardo Lucena (guitarra/voz), Eduardo Panozzo (baixo/voz), Lucas Bustince (bateria) e Johhny Boaventura (teclas/voz)...

Hipótese Gaia – nosso planeta como um organismo - por Telmo Focht

Na mitologia grega, Gaia era a deusa da Terra, uma metáfora para “terra viva”. Gaia, Geia ou Gé, para os...

Patrocinadores da cultura