Porque gritamos com nossos filhos e alunos? - por Mercedes Sanchez

Porque gritamos com nossos filhos e alunos? - por Mercedes Sanchez

Mesmo a pessoa mais paciente, calma e tranquila perdeu, em algum momento, o controle ante um comportamento indesejado de uma criança e gritou com seu filho ou aluno, como forma de repreende-lo. Por mais que intentemos fazer bem as coisas, às vezes cometemos erros. Acredito que ninguém gosta de enfadar-se e gritar com seus filhos ou seus alunos. Mas, o que acontece quando esse comportamento é constante e as crianças são educadas a gritos ou com base a maus modos?

Consequências do grito na educação das crianças:

Algumas vezes, os pais aplicam modelos de educação herdados dos seus pais e, se algum deles os tratou com mão dura, acabam por repetir a mesma estratégia com seus filhos, sem dar-se conta que a educação de hoje pode ser de outra forma, mais próxima e amena, sem perder, por isso, o respeito e a responsabilidade na hora de educar.

Em outras ocasiões, o stress ou a frustração dos pais ou professores terminam recaindo nas crianças através de um tratamento hostil, como gritos e grosserias.

Porém, todos os pedagogos e psicólogos infantis estão de acordo neste ponto: para conseguir que a criança obedeça e tenha um bom comportamento, não é necessário humilhação, grito ou violência verbal.

 



Quais os efeitos na vida de nossas crianças se gritarmos permanentemente para chamar a sua atenção?

Pode acontecer que em algum momento elevar o tom de voz surta seu efeito e a criança perceba sua falta e troque de atitude. Porém, se esta for a forma habitual de tratamento, a criança se acostuma a ela e a mesma não surte o efeito esperado, perdendo o adulto a autoridade, passando a ser uma relação autoritária que não educa e sim desvaloriza.

O permanente emprego do grito leva ao deterioro da autoestima da criança, que, ao não sentir-se valorizada nem querida, pode transformar-se num rebelde com a tendência de desafiar a autoridade nas diversas situações que a vida lhe apresente.

Tanto pais, quanto professores somos exemplos para as crianças. Uma conduta agressiva tem impacto direto sobre as mesmas, que adotarão este comportamento, podendo acostumar-se a gritar e a ter condutas agressivas com os amigos, conhecidos, pais e professores.
O grito só causa um estado de nervos e estresse que não é nada favorável ao desenvolvimento da criança nem é saudável para a vida dos pais e professores.

É importante refletir: sou um desses pais ou professores que grita muito na relação com as crianças? Talvez seja o momento de intentar outro caminho, onde o carinho, o respeito e a compreensão sejam visíveis na relação, pois afinal estamos tratando com outro ser humano, que a vida nos deu a responsabilidade de acompanhar no seu desenvolvimento.
É pouco o tempo em que podemos orientar nossas crianças para que sejam seres felizes, não pelas coisas que possuem, mas sim pelo carinho e amor que receberam. As crianças crescem rápido e, sem dúvida, levarão para suas vidas o ambiente em que se formaram.

Mercedes Sánchez
Educadora de longa trajetória na educação brasileira, com a constante preocupação de procurar meios que possibilitem o desenvolvimento do ser humano.

 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Olimpíadas Rio 2016 - por Amanda Pessôa

"Aqui fala uma amante dos esportes, que acredita que a Olímpiada é algo mágico e encantador. Que mostra como o...

Livro - Uma visão de mundo - por Elma Sant’ Ana

Uma visão de mundo Jõao Fabrício de Morais / Elma Sant’ Ana  “ Dr. JOÃO FABRÍCIO DE MORAIS, missioneiro de São Luiz...

Saúde para todos - por Rodrigo Valadares Ribeiro

Em 2004, o Governo Federal, em parceria com as prefeituras municipais, criou a Farmácia Popular do Brasil, que surge como...

Bolo de Paçoca - por Ana Priscila Volkart

Ingredientes:- 2 ovos;- 3/4 xícara (chá) de açúcar;- 3 colheres (sopa) de manteiga  amolecida;- 2 colheres (chá) de essência de...

Por mais terras que percorra - por Rosana Martins

Aos setenta anos de idade ele chorava. Sentado, na sala, em frente a TV. Era oito de maio, dia da...

Música - Julio Rizzo e Pata de Elefante

A banda gaúcha de rock instrumental Pata de Elefante encerrou carreira no ano passado, mas deixou este álbum, com a...

Em agonia - por Evanise Gonçalves Bossle

A literatura agoniza quando um texto é adaptado para facilitar a compreensão, esmagando assim a arte e a técnica do...

Alfajor Argentino

Alfajor é tradição na Argentina, tem em todos os lugares! Inclusive, não pode faltar em festas de aniversário e reuniões...

Somos pó - por Franco Vasconcellos

Escrevo isso um dia depois de o avião do time do Chapecoense cair na Colômbia. E escrevo triste. Não torcia...

A Pedra no caminho - por William J. Bennett

  Conta a lenda de um rei muito sábio que não poupava esforços para inculcar bons hábitos nos seus súbditos...

Patrocinadores da cultura