A que paradigma responde minha maneira de pensar e de viver? - por Mercedes Sanchez

A que paradigma responde minha maneira de pensar e de viver? - por Mercedes Sanchez

Certamente, vivemos dentro de normas orientadoras, que estabelecem limites e determinam como as pessoas devem viver. Estes paradigmas surgem nas diversas áreas em que atuamos e vivemos, como modelos a ser seguidos, o que, de alguma forma, nos faz sentir que agimos dentro da “norma”, e isto nos dá tranquilidade e segurança.

Paradigma é um termo de origem grego “paradeigma”, que significa “modelo” ou “padrão”. Mas, num mundo em constante evolução, em que os valores e interesses mudam de geração para geração, e onde em cada etapa existe um esforço por adaptar-se ao novo, para não ficar para atrás e não desvincular-se dos filhos, amigos e relações sociais, como saber até que ponto o padrão com que vivemos é limitante para alcançar o voo que pretendemos?

Hoje, o saber informático passou a ser um paradigma de inclusão ou exclusão, pois se não dominarmos seu uso ficamos desconectados do mundo e das possibilidades que se abrem para todos a cada momento. Outros paradigmas são influenciados pelas ideias filosóficas, ciência, educação, religião e determinados pela cultura social, etc.



É importante perceber como os modelos impostos operam em nosso consciente ou inconsciente. Para isto podemos observar como respondemos a determinadas situações que se repetem em nossa vida, pois sempre há um paradigma que nos domina e por ele filtramos toda a informação que recebemos.

Mas, desta forma, não conseguimos receber a informação completa, nem descobrir todas as possibilidades que cada situação nos apresenta. Por exemplo, em educação um paradigma conservador não é eficiente para atender a aprendizagem de todos os alunos, pois não reconhece a forma de aprender individual de cada um deles. Já uma prática pedagógica inovadora dá lugar a uma aprendizagem crítica, que possibilita mudanças no processo de aprendizagem do aluno.

Ou seja, inovar significa sair do paradigma no qual estamos inseridos, se abrir a novas possibilidades de compreensão e de visão de mundo. Porém, em meio a tantos limites impostos, temos possibilidade de descobrir nossa própria forma de pensar? De realizar escolhas sem temer ser criticado ou julgado por isso? Sem perder a confiança em nós mesmos e a dos que nos rodeiam? Claro que cada um é uma individualidade, com características diferenciadas, e por isso nossa forma de aprender na vida é diferente. Temos a possibilidade de ver quais são os pa- radigmas impostos que nos dominam, tomando distância e observando-nos para reconhece-los. Desta forma poderemos desenvolver a liberdade interior de poder escolher.

"Ser livre é poder fazer nossas próprias escolhas e assumir a responsabilidade sobre elas."

Mercedes Sánchez
Educadora de longa trajetória na educação brasileira, com a constante preocupação de procurar meios que possibilitem o desenvolvimento do ser humano.

• Publicado na Revista Usina da Cultura - número 16 - Agosto de 2014

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

400 años de El Quijote - por Elena Cárdenas

“En un lugar de la Mancha de cuyo nombre no quiero acordarme, no ha mucho tiempo que vivía un hidalgo...

Sorvete - por Ana Sanchez Souza

Ingredientes: • 1 lata de leite condensado • a mesma medida de leite (1 lata) • 2 ovos (separados em gemas...

Rincão Poético: Pra que tanto - por Rodolfo Machado

Ali do meu lado estava você sapatos vermelhos, batom tom igual, nos lábios de Deusa.. foi tão sensual Por onde passou...

Museu de América - Madrid/ Espanha

O Museu de América, em Madrid, foi criado por decreto em 1941, mas as coleções que custodia têm uma história...

Como e quando devo podar as plantas? - por Roger França

O tempo ideal para a poda de árvores, arbustos e flores são os meses que não tem “R”, (Maio, Junho...

Leitura - por Aline Aguiar

O hábito da leitura melhora o vocabulário, a escrita, a memória e desenvolve o raciocínio. Além de ser um caminho...

O Canal de Beagle - por Gilmar Hinchinck

Navegando nas turbulentas águas do fim do mundo... Todos Sabemos que nesse mundão temos uma grande variedade de lugares paradisíacos. Com...

4.0 (a hora do desassossego) - por Franco Vasconcellos

Achava que quando fosse um velho, de quarenta anos, estaria entregue às baratas. Já contei pra vocês que nem lembro...

Rincão Poético: Eu não tenho preconceito - por Luana Oliveira Barcelos

Foto: Cordéis alunos 3º ano C, EEEF Antônio Fco da Costa Lisboa Eu não tenho preconceito Quem tem eu não sei...

Bolo rápido doce infância - por Bárbara Brezolla da Luz

Ingredientes: 3 ovos ½ xícara (chá) de leite 1 xícara (chá) de açúcar ½ xícara (chá) de margarina derretida 1...

Patrocinadores da cultura