Displaying items by tag: Beleza - Revista Usina

A beleza do amor reside na ausência de fórmulas - por Ryano Mack

O mundo moderno é repleto de discursos que estimulam a maioria das pessoas a serem mais egoístas e individualistas nas relações, é fácil se deparar com manifestações de total indiferença aos sentimentos alheios, como se sentir intensamente algo por alguém fosse um ato de fraqueza. Frases vaidosas voltadas a si, se perpetuam entre as discussões sobre relacionamentos, há inclusive, aqueles que vestem armaduras e carregam o orgulho como troféu, tão pesados de “amor próprio” que já não podem mergulhar em uma relação para não se afogar.

Aquele papo de não se entregar ao amor porque no passado alguém te machucou, nada mais é, do que condenar o presente e um possível sentimento, é dizer ao passado e ao seu (sua) algoz, que eles triunfaram sobre você e te fizeram um refém, que afasta qualquer pessoa que possa proporcionar algo bonito e sincero. Seria mais interessante e legítimo, se buscássemos deixar aflorar sentimentos e não cálculos. Porque a preocupação com o que pode fazer mal ou causar dor? O mundo por si só já é assim, a dor passa, nos deixa mais maduros e fortes, pode até virar canção, cicatriz é para os bravos e corajosos, ainda que doa, é algo que se sente, terrível mesmo deve ser não sentir nada. E se no fim das contas der mal me quer procure outra flor, o que não faltam são jardins floridos.

Não deveríamos partir de essencialismos ao discutir relações, ou seja, não devemos agir com fórmulas prontas e que sirvam para todos. Se todos somos diferentes é impossível que algum método possa valer para a vastidão de situações que possam existir, cada um ama a seu modo, é difícil ser sincero consigo mesmo quando se tem que caber em um número aceitável de atitudes de retribuição para agradar o outro, tudo que é feito sem a vontade genuína se torna obrigação.



O Amor não necessariamente deve durar, aliás nem se deveria mensurar tempo e qualidade, quantos relacionamentos não passam de um mês (Romeu e Julieta durou 5 dias) e mesmo assim são mais intensos do que namoros de 2, 3 anos, que por vezes, se detêm ao tédio, cobranças, competições de poder e talvez, até a falta de adultério seja reflexo dos desejos reprimidos em um cemitério de pulsões e prazeres condenados por quem segue fórmulas na acomodação e acaba por negar a intensidade. O único erro é não amar, pois no amor não se erra ou acerta, apenas se vive.

É nosso direito se perder e quem sabe até se encontrar em alguém, é nossa a grandeza de saber que o coração é tão valioso que podemos oferecê-lo sem pedir nada em troca. Correndo todos os riscos possíveis, menos o de aprisionar um coração ao ponto de torná-lo duro e vazio.

É fácil encontrar diversos textos sobre essa temática tão complexa e reflexiva, se debate muito sobre amor, e isso já é indicio que pouco se sabe em relação ao assunto, e que bom que não sabemos o suficiente, o amor é uma flecha cheia de incertezas, afinal, quem carrega certezas é a matemática, por isso um sentimento tão vasto deve ser sentido e não representado em passos calculados estrategicamente. Pouco sei sobre amar, e espero continuar assim, nesse abismo gigantesco que é o amor, quem não se sente confuso não é alguém com quem se possa aprender muito. 

Ryano Mack, estudante de História, Músico e Compositor, amante de café, leitura, música e filosofia

Rincão Poético: Beleza - por Esther Luisa Guthartz

Belo é o dia que nasce,
Como a flor que desponta em botão.
Trazendo promessas de luz e aromas,
de cor e sons.

Belas são as pedras que contam estórias,
Testemunhas mudas do que passou.

Belas são as horas que guardo na memória
e as fotos amareladas que lembram o amor.

Belas são as músicas que canto,
trazem lembranças de alegria ao meu redor.

A vida transcorre deixando ao seu passo tristezas, sem depressão.
Amores da alma, amigos que me acompanham aonde eu vou.

Rostos mil, sorrisos sem fim. Vida, bela vida!
O ar que respiro me traz o perfume de uma bela flor.

Esther Luisa Guthartz



O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Vocação, eis a questão! - por Fabiana Souza

No sistema em que vivemos, é comum acreditarmos que um profissional satisfeito é aquele que ganha bem e, assim, poucos...

A Xerife de Getúlio - por Franco Vasconcellos

Brilhante e dourada, habitava certa lapela que passeava pelos corredores do colégio, impondo-se como símbolo de autoridade - e olha...

Machu Picchu - Uma viagem inesquecível - por Livina Vianna

A viagem foi idealizada na década de 90, portanto um sonho que se realiza. A cidade de Machu Picchu, encontrada...

Carnaval? Não, obrigada. - por Fabiana Souza

Quem tem um pouco mais de lucidez e tranquilidade na alma se angustia quando chega o Carnaval. A folia, forçada...

Andorra - Un pequeño-gran país - por Elena Cárdenas

Durante casi dos años he estado viviendo en Andorra, un país de tan solo 70.000 habitantes ubicado en los Pirineos...

Tipos e qualidade da luz - por Silvio Kronbauer

Quando se fala em fotografia, é imprescindível falar em luz, afinal “fotografar” é registrar a luz. Então, é válida aquela...

Premiações brasileiras nas Olimpíadas Rio 2016

Depois da emocionante abertura dos jogos olímpicos, vêm as esperadas premiações nas mais diversas modalidades. E como bons brasileiros, o...

Passeando por Montevideo - Mercado Del Puerto - por Michele Duarte e Douglas Reis

Mercado Del Puerto, local onde se encontra boa parte das comidas famosinhas do Uruguai. Não é um “mercado” comum, como...

Amor de Amigo

Durante a segunda guerra mundial, um orfanato de missionários, numa aldeia vietnamita, foi atingido por várias bombas. Através do rádio...

Rincão Poético: Pra que tanto - por Rodolfo Machado

Ali do meu lado estava você sapatos vermelhos, batom tom igual, nos lábios de Deusa.. foi tão sensual Por onde passou...

Patrocinadores da cultura