O que é "Accountability"? - por Márcio Barcelos

O que é "Accountability"? - por Márcio Barcelos

O conceito de “accountability” é dos mais importantes tanto no vocabulário da moderna administração pública quanto no debate sobre democracia e gestão pública no âmbito da Ciência Política. Contudo, e infelizmente, ainda não existe uma tradução exata desse termo em língua portuguesa. 

Grosso modo, “accountability” quer dizer “responsabilização daqueles que administram os interesses de outros”. Quando uma pessoa está em uma posição de administrar “coisas” que são do interesse de todos, ou de uma determinada coletividade, ela deve “dar conta” de suas ações. Ela deve ser responsabilizada por suas ações junto àqueles que são diretamente interessados. Estes interessados, por sua vez, devem ter informações sobre o que está acontecendo, e assim avaliar aqueles que estão conduzindo as coisas. 

O gestor público, o político eleito, o funcionário público, são, antes de tudo, gestores/administradores de algo que pertence a toda a sociedade. Sendo assim, devem ser responsabilizados, devem prestar contas de seus atos a toda a sociedade.



   

Contudo, não basta dizer: “os políticos devem ser responsabilizados”. Afinal, é muito fácil colocar a culpa de tudo o que há de ruim nos políticos, ou na classe política. Essa é uma atitude muito comum no Brasil. Mas é uma atitude hipócrita e ineficaz. Accountability exige que as pessoas exerçam sua cidadania, que sejam ativas, que tenham interesse nas questões públicas. Que procurem saber o que ocorre no âmbito público, que sejam questionadoras e vigilantes. É necessário ir muito além do que simplesmente colocar a culpa “nos políticos”. 

Accountability só existe quando há cidadania ativa e consciente. E isso vai muito além do que simplesmente falar mal desse ou daquele político, desse ou daquele partido. Tem a ver com uma preocupação genuína e honesta com o que é público, com o que é da sociedade, com o que é de todos/todas nós. E aqui não se está dizendo nada de novo. 

Alexis de Tocqueville, mais de 200 anos atrás, já dizia que o suporte maior da liberdade com igualdade estava na ação cívica dos cidadãos e sua participação ativa nos negócios públicos.

Márcio Barcelos, Sociólogo.

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Um espaço para o desenvolvimento humano - por Karine Klein

Espiritualidade, amor e doação são os ingredientes da Fundação Projeto Terra Existem locais que só de entrar já se sente uma...

Como encarar a chegada de um irmãozinho? - por Thainá Rocha

Assim como a primeira, a segunda gestação também provoca vários sentimentos ambivalentes nos pais: a alegria por estar novamente aguardando...

Usina da cultura: como tudo começou

Partindo da ideia de que a comunicação é essencial para o desenvolvimento das sociedades, Cecilia Sanchez, designer, e Alex D’...

Três Coroas

Três Coroas é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Localiza-se no na Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre e na Microrregião de Gramado-Canela, mais precisamente no Vale do...

“Se você não parar com isso, vai apanhar...” - por Thainá Rocha

Uma introdução ao tema O assunto de hoje (e dos nossos próximos bate-papos) buscará refletir a respeito da tão polêmica pergunta...

Projeto São Chico Formando Campeões

Esta manhã São Chico acordou ensolarada e cheia de expectativas. O goleiro do Grêmio, Bruno Grassi veio para apadrinhar o...

Torta de abobrinha sem glúten - Gabi Figueredo

A receita de hoje é especial para os doentes celíacos, mas quem não tem a doença pode comer a vontade...

Um destino mais feliz - por Mercedes Sanchez

Eu nasci em Mendoza, Argentina, terra privilegiada aos pés da cordilheira dos Andes, forjada através do esforço continuo de seus...

Visual com Arte: Tentando achar respostas - por Guilherme Ferreira

Obra: "Tentando achar respostas” Artista: Guilherme Ferreira Técnica: Acrílica sobre tela Cidade: Gravataí/RS Foto: Theo Samuel Obra: "Sem perceber meu...

Seu filho tem um amigo imaginário? - por Thainá Rocha

Um belo dia você entra no quarto do seu filho e o encontra brincando com alguém imaginário. Calma! Primeiramente, é importante...

Patrocinadores da cultura