Exoplanetas – possíveis lares para a humanidade do futuro? - por Telmo Focht

Exoplanetas – possíveis lares para a humanidade do futuro? - por Telmo Focht

Mas, afinal, o que é um exoplaneta?

Basicamente, é um planeta orbitando uma estrela fora do Sistema Solar. E este corpo não deve possuir mais que umas poucas dezenas de vezes a massa de Júpiter, o maior planeta do nosso sistema solar, em função de sua gravidade, que seria muito grande para nós. Em maio de 2007, foi encontrado o primeiro exoplaneta em zona habitável, com cerca de 8 massas terrestres.

Já são conhecidas muitas variáveis de nosso planeta que podem ser usadas como referência, tais como intemperismo e composição atmosférica, assim como fatores astrofísicos, como luminosidade da estrela e distância entre o planeta e a estrela. Os especialistas em geofísica podem calcular variáveis importantes, como a temperatura média global do planeta. Os resultados serão absolutamente favoráveis à vida caso as temperaturas permitam a existência de água em estado líquido e permaneçam estáveis em um intervalo de tempo considerável, como alguns bilhões de anos.

Até o momento, já são conhecidos em torno de 3.500 exoplanetas, confirmados entre vários milhares de candidatos que requerem uma análise adicional. E este número só aumenta...

O exoplaneta Proxima b, pode engrossar as fileiras de uma dúzia de outros planetas localizados em "zonas habitáveis", onde "todas as formas de vida são possíveis", estima Jean Schneider, astrofísico do CNRS (Centro Nacional da Pesquisa Científica ou Centre National de Recherche Scientifique, no original francês) em Paris. É mais interessante do que os outros, porque se encontra em torno da estrela mais próxima de nós (Proxima Centauri, que é uma estrela anã vermelha fraca, a apenas 4,24 anos-luz de distância, mas não visível), o que nos dá esperança de chegarmos lá um dia.

Há três técnicas para detectá-los. A mais evidente, é fotografar o exoplaneta. É o método mais promissor, sobre o qual há mais pessoas trabalhando. O segundo método, é aquele utilizado para encontrar o Proxima b. Se o movimento de uma estrela é perturbado significa que há um planeta que o perturba sob o efeito das leis da gravidade. Esta era a técnica mais rentável até 2010. E depois há o telescópio americano Kepler. Ele utiliza um outro método: o do trânsito. Se a órbita do planeta estiver corretamente inclinada no céu em relação a nós, periodicamente o planeta passa em frente a sua estrela. Neste momento, produz um pequeno eclipse, que também chamamos de trânsito. Com este método, Kepler detectou milhares de planetas. Telescópios cada vez mais sensíveis neste recurso poderão descobrir muitos outros exoplanetas ainda.

A temperatura é um critério suficiente para que seja habitável, mas isso não significa que ela seja habitado, que haja realmente organismos biológicos.

Mas a partir daí, todas as formas de vida são possíveis. A gama é extremamente ampla. Nosso planeta já é um exemplo disso, pois já são conhecidos organismos que vivem em condições adversas para a quase totalidade dos outros.

As propriedades da atmosfera podem também desempenhar um papel. Para Proxima b, vamos verificar se a densidade de sua atmosfera é suficiente para proteger o planeta dos fortes raios-X da sua estrela. Ou então devemos pensar em uma forma de vida que se adapte aos raio-X!

Precisamos ser extremamente abertos sobre o que chamamos de vida.

Já na Terra, há uma grande biodiversidade. A vida se adapta a quase todas as circunstâncias. Encontramos organismos biológicos na Antártica, bactérias sobrevivem em usinas nucleares, enquanto em outros planetas, pode haver muitas coisas mais.

Assim, aguardemos pelas próximas descobertas. Ou capítulos, se preferirem.

Fontes:
https://www.infoescola.com/astronomia/exoplanetas/
https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/afp/2016/08/24/exoplanetas-o-que-sao-e-como-procura-los.htm
http://www.ccvalg.pt/astronomia/noticias/2013/09/13_modelo_raio-massa.htm

Telmo Focht, biólogo, com doutorado em espécies exóticas invasoras. Também atua na área de licenciamentos ambientais.

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Bolo de Maçã - por Ana Sanchez Souza

Ingredientes:  - 1 1/3 xícaras de óleo vegetal- 3 xícaras de farinha de trigo- 1 colher de sopa de canela em...

A importância do equilíbrio de nossos centros de energia - por Patrícia Muller

Mais saúde física, mental, emocional e espiritual Quando passamos por problemas, nosso campo energético pode se desequilibrar, gerando bloqueios, que travam...

Um lar e uma família - por Laerte Santos

Tenho sistematicamente abordado o assunto FAMÍLIA em minhas palestras. Na última semana sugeri ao auditório lotado, de que todos ali...

Desafago - por Patrícia Viale

Vago neste lugar qualquer. Meus pés ardem. Já não levanto a cabeça. Tudo dói. O respirar está fraquinho. Não sei...

Visual com Arte: Pintura em tela - por Adriana Borella Pessoa

Técnica: Pintura em tela Mistura de técnicas sobre tela de MDF: textura, imagem, tecido e texto Adriana Borella Pessoa Pedagoga e Arte/educadora -...

Dicas de pronúncia - por Aline Aguiar

GratuitoPronuncia-se (gratúito) ou (gratuíto)? O correto é pronunciar (gra-túi-to), com o acento tônico no “u”, assim como circuito, muito, intuito... ...

O trabalho por projetos em sala de aula - por Mercedes Sanchez

O trabalho por projetos na escola é um tema que se vem discutindo ultimamente entre os profissionais de ensino, como...

Construções Verdes - por Alejandro Gimer

Uma forma diferente de ver o espaço que habitamos. O crescimento dos grandes conglomerados urbanos, associado a um sistema que prioriza...

Novos Talentos nos Esportes - por Reinaldo Wanke

"O esporte tem um resultado significativo no desenvolvimento de um cidadão e muitos ensinamentos vão acompanha-lo pelo resto de sua...

Lixaço - por Rafael Sanches Souza

Um dos conceitos que mais me marcou quando li 1984, do George Orwell, foi o do uso da guerra, que...

Patrocinadores da cultura