Chiliques, birras e acessos de raiva - por Thainá Rocha

Chiliques, birras e acessos de raiva - por Thainá Rocha

Crianças entre 1 e 3 anos são especialmente propensas a ter esses "ataques". 
Geralmente surgem por conta de uma frustração, pois ainda não conseguem se expressar com palavras. Enquanto as crianças não sabem lidar com o “não” somente os pais podem tomar uma atitude capaz de melhorar a situação. São eles que devem manter o controle, e não as crianças!

 

Vamos às dicas?

 

Não perca a calma você também: A solução não envolve gritos, puxões de orelha ou palmadas, mas sim firmeza e autoridade, desenvolvidas a médio prazo. Além disso, a última coisa que a criança precisa é sentir que você também está sem controle. 

 

Por mais que o chilique dure, não ceda: Bem que dá vontade de fazer isso, ainda mais quando se está em público. Tente não se preocupar com o que os outros pensam. Se você ceder, só vai ensinar ao seu filho que espernear é um bom jeito de conseguir o que quer. Quanto mais atenção os pais derem à birra do filho, pior será o comportamento dele.

 

Se a birra aumentar a ponto dele bater nas pessoas, jogar coisas ou gritar sem parar, leve-o até um lugar seguro, como o quarto. Explique por que ele está lá ("Você bateu na sua irmãzinha") e fique com ele até ele parar. Em um lugar público, leve-o para fora até ele se acalmar.

Após a “tempestade”, converse sobre o que aconteceu. Ajude-o a colocar os sentimentos em palavras. Deixe-o perceber que, se ele usar palavras para se expressar, vai conseguir resultados melhores.

Distraia a criança: Em certas situações chamar a atenção para outra coisa pode ser a melhor saída. Fazê-la rir ou distraí-la com outro atrativo costuma ser efetivo e a criança pode esquecer a razão do escândalo que estava fazendo minutos atrás.

Dê o exemplo: Os pais devem ser bons modelos para seus lhos. Por mais incrível que pareça, muitas vezes a criança está apenas repetindo o comportamento dos pais (bater a porta, gritar...)

Sim, seja exível de vez em quando! Os pais devem ser rmes e mostrar quem coloca as regras no dia a dia. Mas isso não signi ca incorrer no autoritarismo. Algumas coisas podem
e devem ser negociadas com a criança. A nal, será que 10 minutinhos a mais no parquinho é um grande transtorno.

Valorize e quali que a criança: Reforçar positivamente o bom comportamento depois de um ataque de birra ajuda a preve- nir novos episódios.
Fique de olho em sinais de estresse: Pense se houve algum problema na família, uma fase de muita correria na vida de todos, se há tensão entre os pais. Tudo isso pode causar esse tipo de comportamento.

Atenção: Se seu lho tem mais de 3 anos e continua tendo acessos de raiva, pode ser o caso de procurar ajuda pro ssional!

Deixe seu comentário

Lugares que podem te interessar

view_module reorder

Cachoeira do Tio França - Cambará do Sul/RS

Localizada a 3 Km da cidade de Cambará do Sul, é onde o arroio Campo Bom despenca para formar uma...

Cachoeira do Nassucar - Cambará do Sul/RS

Localização: Vale do Rio Santana, a 24 km do centro de Cambará do Sul. No Vale do Rio Santana, ao norte...

Cânion Churriado - Parque Nacional da Serra Geral

Localização: Parque Nacional da Serra Geral, o cânion está a 23 quilômetros de Cambará do Sul, RS. Localizado a 23 Km de...

Cânion Fortaleza - Parque Nacional da Serra Geral

Localização: Cambará do Sul, RS - a 23 km do centro da cidade. Ver mapa Considerado um dos lugares mais bonitos...

Lajeado das Margaridas - Cambará do Sul/RS

Localização: 12 km do centro de Cambará do Sul O Lajeado das Margaridas está localizado a 12Km do centro de Cambará do...

Parceiros na difusão cultural