8 de Março - Dia Internacional da Mulher

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

O dia Internacional da Mulher está marcado por uma série de lutas e reivindicações ante as sociedades de diversos países, em procura do reconhecimento e igualdade de direitos da mulher na sociedade. 

Em 8 de março de 1857, um grupo de mulheres trabalhadoras nas fábricas de tecelagem tomou a decisão de sair as ruas de Nova York em protesto pelas precárias condições de trabalho que tinham. A partir desta data diversos movimentos neste sentido se sucederam, como por exemplo, greves, protestos e reclamações pela igualdade salarial, a diminuição da jornada de trabalho a 10 horas e um tempo para poder amamentar seus lhos. Estes protestos trouxeram uma série de complicações e mortes de mulheres por parte de empresários que se negavam a conceder o espaço que era reivindicado. 

Em 1910, durante a Segunda Conferência Internacional de Mulheres Trabalhadoras, celebrada em Copenhage (Dinamarca), mais de 100 mulheres aprovaram declarar o dia 8 de março como Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, sendo que hoje se celebra como o “Dia Internacional da Mulher”. 



Muitas mudanças houveram neste sentido na sociedade mundial e apesar de que ainda existem diferenças salariais entre homens e mulheres, entre outras, a mulher hoje tem possibilidades de profissionalização, de reconhecimento e o espaço conquistado para fazer valer seus direitos de cidadã. 

O Dia Internacional da Mulher alcançou, durante o século XX e inícios do XXI, uma dimensão mundial. O movimento internacional em defesa dos direitos da mulher é crescente e amparado pela Organização das Nações Unidas. 

Cora Coralina, poetisa brasileira nos deixa um belo poema que muito bem retrata sua condição de ser mulher:

“Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende. Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou car, desistir ou lutar; porque descobri no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir”. (Cora Coralina) 

Cora Coralina foi uma poetisa e contista brasileira. Considerada uma das principais escritoras brasileiras, ela teve seu primeiro livro publicado quando já tinha quase 76 anos de idade. Mulher simples, doceira de profissão, viveu longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro. 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Crise e Oportunidade - por Valmira Fernandes

Os chineses usam a mesma palavra para as duas coisas. Para dizer que sempre que surge uma crise, as oportunidades...

Obrigado, profe Lia - por Franco Vasconcellos

Passaram-se as eleições e o ano, como já previ aqui neste espaço, está chegando ao final. 2015 se avizinha e...

Literatura também é arte - por Diogo Maicon Krevoniz Balduino

Quando falamos em arte logo pensamos em pinturas, desenhos, esculturas, recitais musicais, atuações e, até, em artesanato. De fato, essas...

Ecoserra: da escola para a vida

“A Ecosserra constitui um conjunto de ações em educação ambiental, que visa deixar uma mensagem de preservação e de equilíbrio...

Hipótese Gaia – nosso planeta como um organismo - por Telmo Focht

Na mitologia grega, Gaia era a deusa da Terra, uma metáfora para “terra viva”. Gaia, Geia ou Gé, para os...

Agrotóxicos - por Thuani Farias

O aumento exacerbado da população humana, chegando a 7 bilhões em 2011, desencadeou o crescimento da demanda por alimentos. Nessa...

Você já ouviu falar do CAR (Cadastro Ambiental Rural)? - por SOS Mata Atlântica

A SOS Mata Atlântica disponibiliza o curta-metragem “Cumpre-se”, que ajuda a entender essas questões a partir de depoimentos de especialistas...

Visual com Arte: Lápis de cor e Ecoline - por Marco A. de Araújo Liesenfeld

Esse carro bacana é arte de Marco A. de Araújo Lisenfeld e foi publicado no Visual com arte, da edição...

Visual com Arte: Releitura - por Willian de Souza

Autor: Willian de Souza - Paraguaçu Paulista/ SP Releitura, feita com lápis aquarela preto {loadmodule mod_custom,Banner adsense middle article}

Mãe Reflorestadora - por Liti Belinha Rheinheimer

Quando eu era criança, nossa família vivia num sítio. Década de 1930 a 1950, em Gramado. Em 1930, meus pais...

Patrocinadores da cultura