Visita pelo mundo Maia - por Daniel Slomp

Visita pelo mundo Maia - por Daniel Slomp

Ao pensarmos no México logo vem à mente tequila, sombreros, fiestas coloridas, Chaves & Chapolin e desertos áridos, contudo se teu destino é a Península de Yucatán encontrarás outros elementos dessa cultura. Em primeiro lugar é a região florestal mexicana, equivalente a Amazônia, e aonde surgiu, desenvolveu-se e ruiu a civilização Maia, uma das sociedades mais avançadas no conhecimento arquitetônico, astronômico, artístico e da língua escrita.

Ruínas no meio da floresta

Estive lá em 2012, ano em que terminava o ciclo do calendário Maia, e pude conhecer um pouco da cultura e crenças em torno dessa data. Fiz um roteiro que priorizava a visita às ruínas Maias e comecei por Palenque, que está coberta pela floresta e nela pude observar bem essa questão do abandono dessas cidades e da natureza retomando seu espaço por entre as antigas construções.

Altar em Mosaico, Valladolid - Yucatan

Depois fui para Campeche, uma colorida e charmosa cidade estilo colonial, cuja história está ligada a conflitos com piratas, onde visitei Edzná com seu impressionante edifício de 5 pisos.

A colonial e colorida Campeche

De lá, segui para a pacata Valladolid, cidade aconchegante, famosa pelo cacau, que serve de base para visitar os cenotes da região, que são “cavernas” aonde se pode desfrutar das águas subterrâneas, e a Chichén Itzá, principal cidade Maia, onde está o Templo de Kukulcán, em honra ao Deus "Serpente Emplumada" e outras construções preservadas que contam bem a história desse povo.

El Caracol - Observatório Astronómico de Chichén Itzá

Minha viagem terminou em Cancún, maior cidade turística da região, na qual as praias e a diversão noturna são os grandes atrativos, como o Coco Bongo, com seu divertidíssimo espetáculo noturno, no entanto não se pode deixar de visitar as ruínas de Tulum e os parques temáticos, como Xel-Há, que fica no encontro de um rio com o mar, criando um ambiente maravilhoso, no qual desfrutei de muita diversão e contato com a natureza.

Criadouro de Manatee ou peixe-boi (Trichechus trichechidae), em Xel-Há

 Daniel Vilasboas Slomp

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Rincão Poético: Desconectei-me - por Evanise Gonçalves Bossle

Desconectei-me da TV, do FACE, do celular. Voltei a sorrir para as nuvens, seguindo por longas estradas. Desconectei-me do relógio...

Rincão Poético: Minha terra - por Luciane Scalcon

O chão onde piso reflete a imensidão desta cidade querida. Com sua cultura entra em ação, com sua tranquilidade nos...

Os três estilos de Hipismo - por Amanda Pessôa

Aos apaixonados por cavalos, aí vai três modalidades Olímpicas distintas, mas semelhantes: HIPISMO ADESTRAMENTO, HIPISMO SALTOS E HIPISMO CCE. Esportes...

Rincão Poético: Abandono - por Daiana Michaelsen Mergener

Sob o prisma desta luz o que era loucura agora é necessidade; Sob o prima desta luz o que era rotina...

Amigos para sempre? - por Mercedes Sanchez

Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito, mesmo que o tempo e a distância, digam não...

Rincão Poético: Noite de Frio - por Antônio Moacir Oliveira

É noite de inverno E a neve acumulando Eu ouço um gemido É o bugio que tá roncando Eu ouço...

Métodos de esterilização em animais de companhia - por Bárbara Castagna Lovato

Em várias cidades é alarmante a população de animais de rua. A castração de cães e gatos é de suma...

Construções tridimensionais com “palitos de dente”

Olha que atividade legal de fazer em casa!!! Você vai precisar apenas de massinha colorida e palitos de dente. Além dos...

Vale dos Vinhedos • Delícia de lugar - por Eliane Gunthner

Pensando em temperaturas baixas, vou falar um pouquinho sobre o passeio que fiz ao Vale dos Vinhedos algum tempo atrás...

Recicle seu lixo!

Hoje, ecologia e meio ambiente se converteram em palavras habituais na linguagem de muitos seres no planeta. Poderíamos dizer que...

Patrocinadores da cultura