O menino que Morava na Nuvem - por Luciana Neves

O menino que Morava na Nuvem - por Luciana Neves

Livro O Menino que Morava na Nuvem aborda adoção de forma leve.

A publicação chega à segunda edição como boa opção para discutir o assunto com o público infantil.

Conversar com crianças sobre temas polêmicos requer jeito, cuidado e, principalmente, verdade. E é dessa maneira que a jornalista mineira Luciana Neves Moreira, mãe do coração de Marcelo, contou ao filho, quando ele ainda tinha dois anos de idade, como ele chegou à família, por meio da adoção. A reação da criança foi tão surpreendente que ela resolveu registrá-la no livro O Menino que Morava na Nuvem.

Lançado pela Editora Ramalhete, a publicação chegou, no mês de novembro, em que se comemora o Dia Mundial da Adoção (15/11), à segunda edição e pode ser adquirida por meio do site www.nuvemdeamor.com.br ou pessoalmente com a própria autora.



Luciana comenta que há muitas pessoas que têm dificuldade em abordar o assunto com o filho e acabam deixando passar anos para revelar sobre a adoção. Isso quando o adotado não acaba sabendo por terceiros, o que pode deixá-lo confuso.

“Espero que este livro possa ajudar outras famílias a contarem para seus filhos, de forma carinhosa e verdadeira, como é nascer do coração. O livro não se limita a pessoas que adotaram ou são adotadas ou que têm interesse na causa. Essa publicação é também uma forma de ensinar a todas as crianças que a adoção é mais uma forma de construir uma família com muito amor, e, assim, evitar que cresçam com preconceito”, defende Luciana Neves.

A autora, agora, está entrando em contato com as instituições de ensino para que o livro chegue a um número maior de crianças.


A ilustração é do arte educador Flávio de Souza, toda feita em massinha de modelar.

Flávio de Souza é paulista e morou em Juiz de Fora (MG), onde formou-se em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Autodidata na arte de modelar em massinha, fez parte de equipes de modelagem 3D em produtoras como Conspiração Filmes e Oca Filmes, campanhas publicitárias, filmes em stop motion, exposições e ilustrações de livros infantis. Acredita que sua arte tem papel fundamental no desenvolvimento e na formação de cidadãos mais críticos, investigativos, capazes de construir um planeta melhor.

Vendas pelo site: www.nuvemdeamor.com.br

 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Desafago - por Patrícia Viale

Vago neste lugar qualquer. Meus pés ardem. Já não levanto a cabeça. Tudo dói. O respirar está fraquinho. Não sei...

Sociedade Espírita Paz e Amor - Tatiana M. Reis

O que é o Espiritismo? É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan...

Filtro de barro: saudável e econômico

Na era tecnológica, em que a tradição perde lugar para produtos modernos e multifuncionais, um estudo norte-americano provou que o...

Torta de abobrinha sem glúten - Gabi Figueredo

A receita de hoje é especial para os doentes celíacos, mas quem não tem a doença pode comer a vontade...

Uma velhice saudável exige boas memórias - por Rita Frezza Maganini

  É importante perceber que para se viver bem, mais e melhor, é necessário encarar a depressão. Cultivar momentos positivos e contar...

Não Sabemos escrever - por Franco Vasconcellos

O ano começou numa sexta-feira. Ao espocar da primeira champanha e retinir das primeiras taças, passaram, finalmente, a vigorar as...

Ratatouille

Receita de comida de cinema Originária da Provença, a ratatouille é um dos clássicos da cozinha francesa e um excelente exemplo da comida...

Nesta vida, tudo passa... - por Mercedes Sanchez

A vida é um contÍnuo devenir. TUDO PASSA... Passam os anos, as vidas das pessoas, suas obras, seus sonhos e possibilidades. Em realidade...

Música - Lara & Jackpot Band - Ride around in trouble!

Lara & Jackpot Band, banda que iniciou seus trabalhos há poucos meses atrás com um single poderoso, elogiado no estúdio...

Quem sou eu? - por Mercedes Sanchez

“Posso ter a surpresa de descobrir que dediquei minha vida a viver na superfície, na periferia das coisas, sem penetrar...

Patrocinadores da cultura