8 de Março - Dia Internacional da Mulher

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

O dia Internacional da Mulher está marcado por uma série de lutas e reivindicações ante as sociedades de diversos países, em procura do reconhecimento e igualdade de direitos da mulher na sociedade. 

Em 8 de março de 1857, um grupo de mulheres trabalhadoras nas fábricas de tecelagem tomou a decisão de sair as ruas de Nova York em protesto pelas precárias condições de trabalho que tinham. A partir desta data diversos movimentos neste sentido se sucederam, como por exemplo, greves, protestos e reclamações pela igualdade salarial, a diminuição da jornada de trabalho a 10 horas e um tempo para poder amamentar seus lhos. Estes protestos trouxeram uma série de complicações e mortes de mulheres por parte de empresários que se negavam a conceder o espaço que era reivindicado. 

Em 1910, durante a Segunda Conferência Internacional de Mulheres Trabalhadoras, celebrada em Copenhage (Dinamarca), mais de 100 mulheres aprovaram declarar o dia 8 de março como Dia Internacional da Mulher Trabalhadora, sendo que hoje se celebra como o “Dia Internacional da Mulher”. 



Muitas mudanças houveram neste sentido na sociedade mundial e apesar de que ainda existem diferenças salariais entre homens e mulheres, entre outras, a mulher hoje tem possibilidades de profissionalização, de reconhecimento e o espaço conquistado para fazer valer seus direitos de cidadã. 

O Dia Internacional da Mulher alcançou, durante o século XX e inícios do XXI, uma dimensão mundial. O movimento internacional em defesa dos direitos da mulher é crescente e amparado pela Organização das Nações Unidas. 

Cora Coralina, poetisa brasileira nos deixa um belo poema que muito bem retrata sua condição de ser mulher:

“Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende. Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou car, desistir ou lutar; porque descobri no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir”. (Cora Coralina) 

Cora Coralina foi uma poetisa e contista brasileira. Considerada uma das principais escritoras brasileiras, ela teve seu primeiro livro publicado quando já tinha quase 76 anos de idade. Mulher simples, doceira de profissão, viveu longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro. 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Bolo Verde - por Ana Gilda Coelho

Ingredientes:  Massa 4 ovos 1 pacote de massa pronta para bolo, sabor laranja ou abacaxi 1 pote de iogurte natural...

Uso Correto de MEDICAMENTOS - por Leonel Almeida

Apesar de cada vez mais disponíveis estão sendo corretamente utilizados? Os medicamentos surgiram junto com a medicina tradicional e têm um...

Já é quase 2.015 - por Franco Vasconcellos

Há alguns dias, aguardamos o sorteio da Mega da Virada, comemos lentilhas, bebemos espumante... fizemos resoluções... Entramos em 2.014 com a...

Para se falar em Educação, é necessário chegar à raiz da questão! - por Aline Aguiar

Para se falar em Educação, é necessário chegar à raiz da questão! Li um artigo do professor, linguista e escritor, Marcos...

Rincão Poético: Flores - Gustavo Malagigi

Queres flores?  Vai procurar nalgum quintal Deixei-te, certo dia, declarações, amores E tu descartaste tal qual Coisa sem valor Coisa...

A Importância do Primer - por Giulia Aimi

Oi pessoal! O assunto de hoje é primer facial e primer para os olhos! O primer é extremamente fundamental tanto...

Como investir em maquiagem? - por Giulia Aimi

Nesta edição, vamos conversar um pouquinho sobre como comprar maquiagem sem gastar tudo e mais um pouco. Para poder explicar...

Passeando por Montevideo - Mercado Del Puerto - por Michele Duarte e Douglas Reis

Mercado Del Puerto, local onde se encontra boa parte das comidas famosinhas do Uruguai. Não é um “mercado” comum, como...

Por um Natal mais Solidário

A campanha Natal Solidário em Gramado está nas ruas e busca a arrecadação de brinquedos novos e usados, livros, preferencialmente...

Rincão Poético: Fim do Carnaval - por Evanise Gonçalves Bossle

Fim de festa, fim de sonhos talvez. Terminado todo o poder da sedução e sem mais esforços, retira a máscara...

Patrocinadores da cultura