Amor de Amigo

Amor de Amigo

Durante a segunda guerra mundial, um orfanato de missionários, numa aldeia vietnamita, foi atingido por várias bombas. Através do rádio de uma aldeia vizinha, os habitantes buscaram socorro. Um médico da marinha e uma enfermeira chegaram trazendo apenas maletas de primeiros socorros.
Perceberam que o caso mais grave era o de uma menina. Se não fossem tomadas providências imediatas ela morreria por perda de sangue. Era urgente que se fizesse uma transfusão. Saíram a procura de um doador com o mesmo tipo sanguíneo. Mas como pedir às crianças, já que o médico conhecia apenas algumas palavras em vietnamita e a enfermeira tinha poucas noções de francês?
Usando uma mistura das duas línguas e muita gesticulação, tentaram explicar a situação aos meninos. Então perguntaram se alguém queria doar sangue. A resposta foi um silêncio de olhos arregalados. Finalmente, uma mão levantou-se, timidamente.
- Ah, obrigada - disse a enfermeira em francês. - Como é o seu nome? - Heng, respondeu o garoto.
O deitaram na maca, esfregaram álcool em seu braço e espetaram a agulha na veia. Durante esses procedimentos, Heng ficou calado e imóvel. Passado um momento, deixou escapar um soluço e cobriu depressa o rosto.
- Está doendo? - perguntou o médico. Heng abanou a cabeça. Logo, escapou outro soluço e mais uma vez tentou disfarçar.
Os soluços ocasionais acabaram virando um choro declarado, silencioso. Nesse instante, chegou outra enfermeira que, depois de ouvi-lo, falou com o menino, acalmando-o. Heng parou de chorar e olhou surpreso para a enfermeira. Ela confirmou com a cabeça e uma expressão de alívio estampou-se no rosto do menino. Então ela disse:
- Ele achou que estava morrendo. Entendeu que vocês pediram para dar todo o sangue dele para a menina poder viver.
- E por que ele concordou? Perguntou o médico.
A enfermeira vietnamita repetiu a pergunta, e Heng respondeu simplesmente:
- “Ela é minha amiga.”



Fonte : História do Livro das Virtudes - II, “Um Amor Maior”

• Publicado na Revista Usina da cultura - número 13 - Maio 2014

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Para você ser feliz aos domingos - por Karine Klein

Encontre um trabalho que você ame. É sério. Corra atrás de algo que verdadeiramente faz seus olhos brilharem. Se não...

Liberdade interior - por Mercedes Sanchez

Muitas vezes nos imaginamos seres livres e imediatamente relacionamos com a ideia de poder fazer o que quiser e quando...

Filme - Azul é a Cor Mais Quente

Direção: Abdellatif Kechiche Ano: 2013 Gênero: Drama, Romance Classificação indicativa: 18 anos                                 Em Azul é a Cor Mais Quente, a...

Como falar sobre a morte com uma criança? - por Thainá Rocha

Afinal, por que e para que falar de um tema que pode ser tão triste, que nos traz e nos...

Meu anjinho - por Patrícia Viale

Novembro é o mês de nascimento da Maria Rita, minha filha. Ao me descobrir grávida, em 2008, tudo mudou. Inclusive...

A Crônica da Vez: Se todas as pessoas do mundo dessem as mãos, quem puxaria a descarga? - por Roberval Piriri

Digo e repito: o problema fundamental do mundo é o excesso de gente. O número de pessoas cresce dia a...

Queijo Serrano: Alimento e tradição - por Sandra Mallmann

Os alimentos, assim como a dança, a vestimenta e os costumes, fazem parte da cultura de um povo, identificando-o e...

“Se você não parar com isso, vai apanhar...” • Parte II - por Thainá Rocha

Dando continuidade ao tema da última postagem, hoje quero lançar outras reflexões antes de dar início à parte prática do...

Como cuidar de seu jardim no outono? - por Roger França

Com a chegada da nova estação, o outono, os dias voltam a ter a mesma duração que as noites, e...

Ecoserra: da escola para a vida

“A Ecosserra constitui um conjunto de ações em educação ambiental, que visa deixar uma mensagem de preservação e de equilíbrio...

Patrocinadores da cultura