A cidade dos resmungos

A cidade dos resmungos

Era uma vez um lugar chamado Cidade dos Resmungos, onde todos resmungavam. No verão, resmungavam que estava muito quente. No inverno, que estava muito frio, ou porque tinha sol ou estava nublado.
Queixavam-se uns dos outros: os pais, dos filhos; os irmãos, das irmãs. Todos tinham um problema, e todos reclamavam.
Um dia chegou à cidade um mascate carregando um enorme cesto às costas. Ao perceber toda aquela inquietação, pôs o cesto no chão e gritou:
- Ó cidadãos deste belo lugar! Os campos estão abarrotados de trigo, os pomares carregados de frutas. As cordilheiras estão cobertas de florestas espessas e os vales banhados por rios profundos. Jamais vi um lugar abençoado por tantas conveniências e tamanha abundância. Por que tanta insatisfação? Aproximem-se e eu lhes mostrarei o caminho para a felicidade.
As pessoas riram que alguém como ele pudesse mostrar-lhes como ser feliz. Mas enquanto riam, ele puxou uma corda comprida do cesto e a esticou entre os dois postes na praça da cidade. Então gritou:
- Aqueles que estiverem insatisfeitos escrevam seus problemas num pedaço de papel e ponham dentro deste cesto. Trocarei seus problemas por felicidade!
A multidão se aglomerou ao seu redor. Todos queriam se livrar dos problemas. Cada um rabiscou sua queixa num pedaço de papel e jogou no cesto.
Depois de pendurar todos os problemas na corda, o mascate disse: Agora cada um de vocês deve retirar desta linha mágica o menor problema que puder encontrar.
Todos correram para examinar os problemas. Procuraram, manusearam os pedaços de papel e ponderaram, cada qual tentando escolher o menor problema. Depois de algum tempo a corda estava vazia. Eis que cada um segurava o mesmíssimo problema que havia colocado no cesto. Cada pessoa havia escolhido os seu próprio problema, julgando ser ele o menor da corda.
Daí por diante, o povo daquela cidade deixou de resmungar o tempo todo. E sempre que alguém sentia o desejo de resmungar ou reclamar, pensava no mascate e na sua corda mágica.



 Texto: Autor desconhecido

• Publicado na Revista Usina da Cultura - número 15 - Julho de 2014  

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Bolo de 1 litro de leite - por Gabi Figueredo

Quando minha mãe chegou em casa com esta receita eu era adolescente é já tinha uma certa noção de culinária...

Sabia que...

... O sono em excesso pode ser considerado uma doença? O nome desse problema é narcolepsia, uma doença pouco conhecida...

Tour pelo Brasil - Espetáculo de fim de ano do Estúdio de Dança Atittude

Neste último fim de semana, o Estúdio  de  dança Atittude deu um show de dança, cores e magia durante a...

Livro: Outonos

Texto: Evanise Gonçalves Bossle Outonos traz narrativas curtas e envolventes, colocando à nossa frente personagens com que nos deparamos cotidianamente e...

Dar valor à força da palavra é um processo consciente - por Mercedes Sanchez

Uma vez ouvi dizer: “A palavra é prata e o silêncio é ouro” Pensar antes de falar evitaria muito mal-estar, em...

Rincão Poético: Vida - por Evanise Bossle

Piquei palavras de papel comum,Palavras soltas de jornal comum.Piquei palavras soltas ao acaso.Fiz como o vento, levandoPétalas, folhas, sementes e...

Osteoporose • O que é e como evitá-la? - por Karen Gomes Lucena

A osteoporose é uma doença progressiva, caracterizada pela perda de massa óssea e deterioração da microarquitetura do osso, levando à...

Construções tridimensionais com “palitos de dente”

Olha que atividade legal de fazer em casa!!! Você vai precisar apenas de massinha colorida e palitos de dente. Além dos...

A Política Cidadã - por Sérgio Marino

Este ano, estivemos, mais uma vez, em época de exercício "pleno" da democracia no Brasil e orgulhosos de vivermos em...

Músico serrano Israel Da Sois lança CD na Livraria Miragem

No último sábado, 5 de Agosto, o gaiteiro serrano Israel Da Sois lançou seu novo CD "Essência de Campo" na...

Patrocinadores da cultura