Polo Aquático - por Amanda Pessôa

Polo Aquático - por Amanda Pessôa

Parece futebol, mas é jogado com as mãos. Parece voleibol, mas o objetivo é fazer gols. Parece handebol, mas é jogado dentro da água. 

Estou falando do Polo Aquático, uma modalidade Olímpica (pela primeira vez em Paris 1900) cheia de jogadas plásticas, contato físico, muitos gols e grandes emoções. A estreia feminina na competição Olímpica de Polo Aquático aconteceu um século depois dos homens, em Sydney 2000.

No início de sua prática chegou a ser apelidado de "rugby de piscina", pelo constante contato físico. Duas equipes, com sete jogadores cada, se enfrentam na piscina com o objetivo de acertar o gol adversário – vence quem marcar mais vezes.

Os atletas utilizam uma técnica de sustentação para manter-se na água sem afundar, com movimentação circular, giratória e alternada das pernas, essa técnica é chamada de Perna Alternada. 



Para o Polo Aquático os atletas precisam de uniformes: para homens sunga e para mulheres maiô, outro acessório indispensável é a touca: São feitas de nylon e trazem o número de cada jogador na parte lateral e a sigla do país na frente. Quase sempre, uma equipe joga de touca branca, e a outra de touca azul.

Para que a partida aconteça precisa-se da bola, que se assemelha com a de handebol, pesa de 400 gramas a 450 gramas com tamanhos diferentes para feminino e masculino. 

A partida é dividida em quatro quartos de  8 minutos cada, com intervalo entre eles. Uma partida pode durar em média de 55 a 65 minutos. Cada equipe tem 30 segundos para finalizar o ataque ao adversário, caso termine empatado a decisão acontece por meio de tiros de pênalti. 

O jogo inicia-se com as duas equipes encostadas às suas linhas de gols, os jogadores nadam rapidamente para disputar a posse de bola.

Detalhes sobre polo aquático

Veja também as seguintes modalidades olímpicas:

Canoagem Velocidade
Ciclismo BMX,  
Gisnástica artística
Ginástica rítmica
Golfe
Hipismo Saltos
Hipismo CCE
Hipismo Adestramento
Pentatlo Moderno
Polo Aquático
Rugbi
Tiro com arco.

Amanda Pessôa , graduada em Educação Física pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos

 

 

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Livro: Outonos

Texto: Evanise Gonçalves Bossle Outonos traz narrativas curtas e envolventes, colocando à nossa frente personagens com que nos deparamos cotidianamente e...

Canoagem Velocidade - por Amanda Pessôa

A canoa é o meio de transporte aquático mais antigo de que se tem conhecimento. A modalidade Olímpica Canoagem de...

Salpicão de frango de Mainha - por Tânia D’ El Rei Silveira

Ingredientes:- 01 kg de peito de frango, cozido com sal (ou caldo de frango) e desfiado;- 01 kg de cenoura;-...

No coração da Serra Gaúcha

Os fotógrafos gaúchos Ita Kirsch e Bala Blauth, especializados em documentação da natureza e do meio ambiente, registram, nesta obra...

Desafago - por Patrícia Viale

Vago neste lugar qualquer. Meus pés ardem. Já não levanto a cabeça. Tudo dói. O respirar está fraquinho. Não sei...

Nova Petrópolis

No início do Século XIX, a região sul era um problema de segurança e infra estrutura para o governo central brasileiro recém liberto...

Rincão Poético: Abandono - por Daiana Michaelsen Mergener

Sob o prisma desta luz o que era loucura agora é necessidade; Sob o prima desta luz o que era rotina...

De olho na conjugação verbal - por Aline Aguiar

Na hora de conjugar corretamente os verbos VER e VIR a dúvida surge, principalmente, quando utilizamos o futuro do subjuntivo...

A Crônica da Vez: Preconceito - por Gustavo Maffiolet Foss e Jéssica Carolina Gomes

Vivemos em um mundo cheio de preconceitos, onde todos julgam e ninguém admite ser julgado. As pessoas caminham pelas ruas julgando...

Vale dos Vinhedos • Delícia de lugar - por Eliane Gunthner

Pensando em temperaturas baixas, vou falar um pouquinho sobre o passeio que fiz ao Vale dos Vinhedos algum tempo atrás...

Patrocinadores da cultura