Crase - por Aline Aguiar

Crase - por Aline Aguiar

Está em dúvida em relação ao uso da crase? Seguem algumas dicas práticas que te ajudarão a empregar o acento grave adequadamente!

A palavra crase, originária da Grécia, significa fusão. Por isso, na língua portuguesa, a crase é a fusão/contração de duas vogais idênticas, sendo indicada pelo uso do acento grave (à).

1ª DICA PRÁTICA – A crase deve ser utilizada somente antes de palavras femininas que, ao serem substituídas por palavras masculinas equivalentes ou semelhantes, aceitem a combinação “ao”. Veja como:

Fui à padaria.

Substitua a palavra feminina (padaria) por uma palavra masculina (supermercado).

Fui ao supermercado.

Nesse caso, há o emprego do acento grave na forma feminina: Fui à padaria.

Lembre-se: Esta regra abrange a maioria dos casos de crase!!!

2ª DICA PRÁTICA – Diante de nomes de cidades ou lugares.

Quem vai a..., volta da..., crase há!

Quem vai a..., volta de..., crase pra quê?

Ainda não entendeu? É muito simples!

Vou à Bahia, volto da Bahia – Crase há!

Vou a São Paulo, volto de São Paulo – Crase pra quê?



3ª DICA PRÁTICA – Casos em que não há crase.

Antes de palavras masculinas: Este lápis pertence a Gustavo. / Compramos os móveis a prazo. / Vou a pé.

Antes de verbos no infinitivo:  A partir de amanhã começo o regime / Clara começou a chorar.

Antes de palavras repetidas: Dia a dia, ponta a ponta, cara a cara, frente a frente...

Antes de numerais, exceto quando estiverem indicando horas, ou numerais ordinais femininos: Chegou a cem o número de desaparecidos. 

Exceção: Tenho um compromisso às 20h30min. / O prêmio foi dado à primeira aluna da classe.

Antes de pronomes pessoais, demonstrativos, indefinidos, uniformes e de tratamento, exceto senhora e senhorita: Darei o recado a ela. /Referia-me a este autor. / Entreguei o convite a algumas pessoas. / Parabéns a você. / Dirijo-me a Vossa Excelência.

Exceção: Dirijo-me à Senhora / à Senhorita.

4ª DICA PRÁTICA – Sempre ocorrerá a crase diante de locuções femininas adverbiais, prepositivas ou conjuntivas.  Algumas delas: À tarde, à noite, à vontade, à esquerda, à direita, à medida que, às vezes, às escondidas, às ocultas, à procura, à sombra de, à beira de, à exceção de, à toa, à beça, às ordens... 

Aline Aguiar, Professora de Língua Portuguesa, amante das letras, apaixonada por leitura, defende a valorização de nossa língua... Afinal, escrever bem é uma arte!

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

As Causas Ocultas da Violência – Parte 2 - por Fabiana Souza

"A causa última nunca é o mundo externo, que reage de acordo com leis fixas, e sim, o próprio homem...

Quando devo adubar as minhas plantas? - por Roger França

Estamos na primavera, folhas e flores colorindo a paisagem, um período muito lindo e perfumado! Mas, às vezes, algumas plantas...

Previsões para 2017 - por Fabiana Souza

De acordo com o calendário lunar chinês, o Ano do Galo de Fogo Yin tem início no dia 27 de...

O conselho do pássaro - por Ilan Brenman

Um sábio muçulmano e um velho rabino sabiam que as narrativas podiam iluminar o caminho daqueles que buscavam um entendimento...

Amigos para sempre? - por Mercedes Sanchez

Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito, mesmo que o tempo e a distância, digam não...

Bolo de Paçoca - por Ana Priscila Volkart

Ingredientes:- 2 ovos;- 3/4 xícara (chá) de açúcar;- 3 colheres (sopa) de manteiga  amolecida;- 2 colheres (chá) de essência de...

A realidade para viver o sonho - por Karine Klein

Basta um cadastro e um tempinho para escolher, para um mundo de magia, possibilidades e descobertas se abrir. Ser leitor...

Pancake - por Cecília Sanchez

Ingredientes: 01 xíc. (chá) de leite 01 pitada de sal 03 colheres chá de fermento em pó 1 1/4 xíc. (chá) de farinha de...

Visual com Arte - por Marco A. de Araújo Liesenfeld

Autor: Marco A. de Araújo Liesenfeld Técnica: Lápis de cor e Ecoline (aquarela líquida)  {loadmodule mod_custom,Banner adsense middle article}

Palavras não Ditas - por Jéssica Gomes

Dizem que alguns escrevem histórias que vivenciaram e outros ficção, eu por outro lado, prefiro as histórias inventadas. A ficção...

Patrocinadores da cultura