Ponto de vista - por Maria Lucia da Silva Teixeira

Ponto de vista - por Maria Lucia da Silva Teixeira

Orgulhar-se de nossa terra, honrar suas tradições, resgatar sua história e sua cultura é muito mais do que uma satisfação. É um dever e uma necessidade de todo o indivíduo que vê, no passado, a amplitude de nossa riqueza cultural presente e futura. Além de proporcionar conhecimento de fatos que, se não resgatados, possivelmente, se perderão no tempo e na memória, nos remete ao compromisso com a verdade, para possibilitar o entendimento do presente.

E assim, motivar que cada geração seja capaz de criar coisas novas, evitando repetir erros, na gostosa convivência proporcionada pelo conhecimento mútuo. Aproveitar todas as ocasiões para evidenciar, de modo positivo, do que somos capazes.

Aproveitar todas as ocasiões para evidenciar, de modo positivo, do que somos capazes. O “lugar” em que nascemos e/ou vivemos se forma , se desenvolve , se sustenta e adquire densidade humana e espiritual com a soma de fatores decorrentes de uma teia que se entrelaça, de tal forma, que só se desfaz com mudanças decorrentes de atitudes, de novas formas de se relacionar e de fazer, onde cada um pode ser protagonista.



Senão, corre-se o risco de só viver do passado, embora saibamos que sem passado não há história. E, sem história perde-se a identidade e o futuro. Cria-se a perspectiva de formarmos indivíduos sem referências, despidos de origens e valores éticos e morais. Não significa porém, exaltar o passado reacionariamente. A questão é compreendê-lo e através dele buscar as mudanças necessárias e o caminho do desenvolvimento pleno. Rever e reconstruir conceitos, possibilidades e formas de ver a vida, mudar atitudes e pontos de vista.

O mais importante é fazermos isso, sem ter que carregar mágoas, preconceitos, revanchismos... Mas sim, nos dispor a cultivar, constantemente, a vontade de ajudar a construir e/ou reconstruir “um lugar’ cada vez melhor de se viver, de cultivar amigos, de viver nossos sonhos... Acredita-se que, se necessário, são infinitas as possibilidades de reconstrução da vida e da história. Cada um de nós deve ser o personagem principal nas circunstâncias que envolvam os fatos humanos para a busca da felicidade plena.

De nada adianta desperdiçar o tempo de hoje, lamentando o que aconteceu ontem e só criticando o presente. Vamos sim, assumir nossa co-responsabilidade na construção coletiva do bem comum. Como diz o Pe. Fabio de Mello: “O movimento de mudança começa em nós. Ao transformar a realidade que me envolve, de alguma forma, estou transformando o que sou”.


Maria Lucia da Silva Teixeira
Professora graduada em Estudos Sociais e em Ciências Sociais (Unisinos), Pós graduada em Ecologia Humana (Unisinos) e Gestão de
Polos de EAD (UFPEL), escritora do livro “São Francisco de Paula: nossa terra, nossa gente”

• Publicado na Revista Usina da Cultura - número 08 - Dezembro de 2013.

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Como e quando devo podar as plantas? - por Roger França

O tempo ideal para a poda de árvores, arbustos e flores são os meses que não tem “R”, (Maio, Junho...

Música - Viagem interestelar - BIKE lança seu "1943" na íntegra

A banda Bike se atira às investidas psicodélicas de Julito Cavalcante (também baixista do Macaco Bong) no lançamento do disco...

Pé de Moleque de Brigadeiro - por Beatriz Ludvig

- 500g de amendoim descascado e torrado  - 1 lata de leite condensado - 2 colh. de chocolate em pó...

O conceito de cultura nas ciências sociais - por Marcio Barcelos

Você já parou para pensar no significado da palavra “cultura”? Seria “cultura” uma coisa que a gente “adquire” assistindo filmes...

Rincão Poético: Visita - por Nelson Luiz Pedra

Corroído pela ausência Não sabia o que fazer Então num ato de coragem Peguei a saudade pela mão E fomos...

Encontros do Quadrante Patrulhense - por Gesmar Borges

Os 78 municípios desmembrados de Santo Antônio da Patrulha têm efetuado encontros para recapitularem suas experiências. O Quadrante Patrulhense é...

Visual com Arte: Maru em retrato - por Taísa dos Santos Porto

Artista: Taísa dos Santos Porto Desenho: Maru em retrato Técnica utilizada: desenho e pintura à mão livre, digital, com uso de mesa...

O RS tem uma Arca de tesouros e ela fica em São Chico - por Karine Klein

Fotos: Arca Verde/ Divulgação Eco Vila promove o respeito à natureza e a cultura da colaboração num pequeno pedacinho do paraíso Com...

Atividades Físicas ao Ar Livre - por Amanda Pessôa

Muitas pessoas deixam de cuidar do corpo e da saúde porque não suportam a ideia de se exercitar em locais...

Rincão Poético: Havia - por Evanise Gonçalves Bossle

Havia um nome na parede Daquela velha casa E um coração meio apagado Logo na entrada. Aquele nome raro e...

Patrocinadores da cultura