Displaying items by tag: Turismo - Revista Usina

Cachoeira do Nassucar - Cambará do Sul/RS stars

Localização: Vale do Rio Santana, a 24 km do centro de Cambará do Sul.

No Vale do Rio Santana, ao norte do município, existe a Cachoeira do Nassucar, uma das mais belas Cachoeiras da região. Fica a 24 km do centro da cidade e pode ser visitada através de passeios de 4x4 ou Mountan Bike oferecidos por agências da cidade.

Foto: Stella Padão

Formada pelo Rio Santana, a Cachoeira tem formato único com até 60 metros de queda e há ali um extenso vale com floresta de xaxins. O local é acessado pela Fazenda Santana e o passeio é feito a cavalo com duração de 02hs.

 

Foto principal: Stella Padão

Gramado

Gramado é uma cidade marcada por muitas belezas, possuidora de riquezas naturais exuberantes, sendo o maior pólo turístico do Rio Grande do Sul e um dos mais importantes do Brasil. A cidade destaca-se como centro de grandes eventos (congressos, seminários e encontros) além de sediar anualmente um dos mais tradicionais festivais de cinema da América Latina: o Festival Brasileiro e Latino de Cinema, durante o qual são distribuídos os prêmios Kikito. Outros eventos importantes e que atraem milhares de turistas são o festival natalino conhecido como Natal Luz e a Festa da Colônia, esta uma das festividades mais integradora dos grupos que colonizaram a região: açorianos, alemães e italianos.

Entre as atrações mais visitadas pelos turistas estão o Museu de Cera Dreamland, Harley Motor Show, Hollywood Dream Cars, Salão do Super Carros, Mirante Vale do Quilombo, o lago Negro, o lago Joaquina Bier, o pórtico de entrada via Taquara, o pórtico de entrada via Nova Petrópolis, o Mini Mundo, a Cascata Véu de Noiva, a Aldeia do Papai Noel, no Parque Knorr, o Palácio dos Festivais, a Praça das Bandeiras, a rua Madre Verônica (rua coberta), a praça Major Nicoletti, a Igreja São Pedro, o centro de cultura, o Museu dos Festivais de Cinema, igreja luterana, fábricas de chocolate, Museu de Cera Dreamland, inaugurado em dezembro de 2009, entre outros.

Outro local que merece uma visita é o Museu Medieval, situado num castelo estilo medieval (o qual vem sendo construído durante os últimos 30 anos, exclusivamente por uma única pessoa, seu proprietário), além de exibir brasões e armas medievais, também abriga o único Museu de Cutelaria do Brasil, exibindo facas, espadas, adagas etc., de todas as partes do mundo.

Além do turismo familiar e de grupos, Gramado tem se tornado referência no turismo de negócios. Em virtude deste novo nicho, a cidade construiu uma estrutura para abrigar todos os tipos de atividade. O Gramado Serra Park e a ExpoGramado são espaços que juntos somam 35 000 metros quadrados de área e que possuem infraestrutura suficiente para abrigar grandes feiras. Hotéis como o Serra Azul e o Serrano apresentam centros de convenção com equipamentos adequados para a realização de painéis e debates. Além desses, o Palácio dos Festivais também pode servir de auditório e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul construiu seu próprio Centro de Eventos e Treinamentos no município.

Diversos eventos como congressos e festivais ocorrem em Gramado durante todo o ano. Durante o Inverno, por exemplo, há o Estação Gramado, o principal evento nesta época do ano. A cidade recebe outros grandes eventos, como o Festival de Cinema de Gramado, Natal Luz, como também a Festa da hortênsias, Chocofest, Festival Internacional de Publicidade a Fenim (Feira Nacional da Indústria da Moda), entre outros.

Distância de Porto Alegre: 123 km
Altitude: 830 m
Fundação: 15 de dezembro de 1954
Área: 237,827 km²
População: 34 832 hab. est. IBGE/2016
Gentílico: gramadense
Municípios limítrofes: Canela, Caxias do Sul, Nova Petrópolis, Santa Maria do Herval e Três Coroas

Atrações TurísticasGastronomiaHospedagem

 

Fonte: Wikipedia

Três Coroas sedia o maior evento de ecoturismo e turismo de aventura do país - por Will Nath

Entre os dias 6 e 10 de novembro, ocorreu na cidade de Três Coroas, o 13º Abeta Summit - Encontro Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura. Durante os dias do evento, os inscritos e convidados puderam participar de palestras, fóruns e debates relacionados ao tema. Organizado pela ABETA – Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura, é o maior e mais importante evento do setor no país, reunindo empresários, gestores públicos, dirigentes de entidades, acadêmicos, guias e colaboradores.

As edições anteriores do evento ocorreram no estado de São Paulo e, segundo os organizadores, a escolha da cidade de Três Coroas como sede da 13º edição do evento foi devido ao associativismo do setor na cidade, tendo como tema “#tamojunto! A força da cooperação!”. “Quando nós começamos a organização do evento um dos primeiros gritos de guerra – e eu vou tentar caprichar no meu sotaque gaudério – dizia assim: Vamos fazer o melhor Abeta Summit da história!” brinca Luiz Del Vigna, vice-presidente da ABETA.

O evento contou com o apoio e organização das empresas de ecoturismo da cidade, recepcionando os convidados e inscritos. “O pessoal do Rio Grande do Sul fez um trabalho extraordinário de organização. Essa organização se reflete na qualidade do evento e a qualidade do evento reflete no resto do Brasil. Vocês estão de parabéns, estamos muito felizes.” completa, Luiz.  A próxima edição do evento ocorre no Território Mantiqueira nos dias 1 a 5 de outubro de 2017, abrangendo os estados de SP e MG.



Will Nath
Bem humorado, não dispensa uma boa cerveja e uma roda de amigos. Tem a escrita como forma de meditação. Mochileiro de alma, viaja pelo mundo e pelo pensamento.

Centenário Grande Hotel Canela • Uma História, uma família, um grande hotel

A cidade de Canela, no Rio Grande do Sul completou 70 anos de emancipação em 2014. Entretanto, o turismo e a hotelaria na região da Serra Gaúcha começaram por volta de 1903, quando o Coronel João Corrêa Ferreira da Silva comprou as terras onde atualmente está o Grande Hotel Canela.

Essa história se mistura com a história da Região, com a história de famílias de imigrantes, com o progresso, o turismo e a hotelaria.

Contando a história do Grande Hotel Canela, o único hotel do Brasil que, com cem anos, permanece administrado pela mesma família que o fundou, o livro Uma História de Canela resgata através de imagens, acervos históricos, depoimentos e ensaios desenvolvidos por escritores uma parte da história da região, evidenciando o estabelecimento como Patrimônio Cultural.

Para escrever um capitulo sobre a história de João Corrêa em Canela foi convidado o escritor de história do Brasil Eduardo Bueno, gaúcho e veranista da serra gaúcha. O capítulo sobre a família que permanece até os dias de hoje na administração do hotel tem introdução da romancista gaúcha Letícia Wierzchowski, conhecida por seu livro A Casa das Sete Mulheres, entre outros.

O livro conta a história do Grande Hotel, história esta que está intimamente ligada a formação da vocação turística e hoteleira da região. Portanto, trata-se de uma pesquisa que abrange não apenas a história de um empreendimento e de uma família, mas o desenvolvimento de uma economia que atualmente sustenta a região e a coloca entre os principais destinos turísticos do Brasil.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO LIVRO

Edição de luxo, capa dura, totalmente ilustrada.
Formato fechado: 200x250mm – Formato Americano
Tiragem: 2000 exemplares
Número de Páginas: 176
Distribuição: Patrocinadores, Escolas, Bibliotecas, Museus e Públicos em Geral
Coordenação Editorial: Liliana Reid
Coordenação de Imagens: Fernando Bueno
Design Gráfico: Marilia Riff-Moreira Vianna
Textos: Eduardo Bueno, Letícia Wierzchowski e escritores convidados
Realização: Canela Instituto de Fotografia e Artes Visuais



O GRANDE HOTEL CANELA

Grande Hotel Canela atualmente/ Foto: Sergio Azevedo

Em 2016 o Grande Hotel Canela está completando  100 anos de funcionamento.

Destaca-se por ser o único no País administrado pela mesma família de seu fundador – João Corrêa – também fundador de Canela.

Um fato inédito na hotelaria no Brasil segundo pesquisa da ABIH.

Nas décadas de 30, 40 e 50 a vida da cidade de Canela gravitava em torno do Grande Hotel e dos hóspedes veranistas que chegavam à cidade. Com requintes muito próprios foi sempre um dos melhores estabelecimentos de hospedagem da Serra Gaúcha, e está na memória de muitas famílias de veranistas que frequentam a região.

Outro fato de importância histórica e cultural é que o Grande Hotel Canela manteve preservadas suas antigas instalações, agora transformadas em Museu e Espaço Cultural.

O INÍCIO DA CIDADE E DO TURISMO EM CANELA

Esta história começa em 1882 quando João Corrêa, então com apenas 19 anos de idade, veio a conhecer o Campestre Canella, região ainda inóspita, habitada por poucos colonos e fazendeiros, mas de imensas belezas naturais.                           

Ao conhecer o lugar o jovem empreendedor imediatamente vislumbrou as possibilidades de fazer o progresso chegar ali, possibilitando o acesso a visitantes e veranistas.

João Corrêa trabalhara na Viação férrea do Rio Grande do Sul, era um ferreiro que se apaixonara pela construção das estradas de ferro e por tudo o que elas eram capazes de transportar. Com essa visão e um espírito empreendedor, ultrapassou montanhas, derrubou dificuldades e resistências políticas, com o passar dos anos comprou terras no lugar que conhecera aos 19 anos, construiu sua casa, fundou uma vila, uma estação e transportou o progresso e o crescimento ao futuro Município onde seus descendentes viriam a ser empreendedores e governantes até os dias de hoje.

João Corrêa deu grande impulso ao início da história do turismo na Serra Gaúcha, quando trouxe a linha de trem de Taquara ao distrito de Canela, em 1924.  O trem propiciou o desenvolvimento do comércio e da indústria madeireira, e as belezas e o clima favorável do lugar conquistou viajantes e veranistas.

Em sua casa, João Corrêa e seus familiares, desde 1916 já recebiam e hospedavam as pessoas que chegavam exercitando a arte da hospitalidade e do bem receber que até os dias de hoje são marca registrada do Grande Hotel Canela.

Canela atualmente é um dos principais destinos turísticos do Brasil oferecendo aos visitantes 28 atrativos naturais e temáticos, 6 mil leitos e movimentando mais de 3 milhões de visitantes ao ano gerando uma economia que sustenta milhares de famílias que trabalham no setor direta ou indiretamente.

Fazenda Tia Laura - São Francisco de Paula/RS stars

A Usina da Cultura, junto à Caminhos de Cima da Serra, esteve em uma Típica Fazenda Serrana. Localizada há 7 km do centro de São Chico, a propriedade faz limite com o Rio do Pinto, onde se encontra uma das primeiras barragens do município. Um lugar de paisagens exuberantes, com a presença de capões, campos nativos e imponentes araucárias, um dos símbolos da região. 

Chagdud Gonpa Khadro Ling - Três Coroas/RS stars

Localização: Estrada Linha Água Brancas,1211. Ver mapa


O Khadro Ling é a sede do Chagdud Gonpa Brasil, uma organização sem fins lucrativos destinada ao estudo e prática do Budismo Tibetano. Uma comunidade de praticantes budistas mora no local e em suas terras fica o primeiro templo tibetano tradicional da América Latina.

Um pouco da história do Khadro Ling
Encantado com a beleza da serra gaúcha e com o interesse dos praticantes do budismo, ao visitar o Brasil em 1991, S.Em.ª Chagdud Tulku Rinpoche procurou terrenos na região para estabelecer um centro. Em 1995, mudou-se para onde hoje está o Khadro Ling. O centro contava apenas com poucas construções. Em 2000, doze praticantes entraram em retiro em uma casa especialmente feita para retiros. Cinco deles fizeram o primeiro retiro de três anos no Brasil sem contato com o mundo externo. Essa é uma prática comum no Tibete, mas, até então, ainda nova no Ocidente, em especial na América Latina. Em 2001, um novo prédio começou a ganhar vida: a Casa Amitaba, parte integrante de um programa educacional dedicado a diversas ações que lidam com cuidados paliativos, apoio ao luto e prevenção ao suicídio entre jovens.

Rinpoche morreu em 2002, após dois dias de ensinamentos e intensa prática espiritual.



Vídeo: Governo do Rio Grande do Sul

Como visitar
A visitação no Templo Budista é gratuita para carros de passeio. 

Horários de visitação
Quartas às sextas: das 9h30 às 11h30 e das 14h às 17h;
Sábados e domingos: das 9h às 16h30;
Grupos em vans, micro-ônibus e ônibus devem agendar a visita antecipadamente. 
Além da visitação, o público pode participar de práticas de meditação, retiros e palestras. Informe-se! 
Extraído de: http://kl.chagdud.org 

Fotos: Chagdud Gonpa Khadro Ling/ Divulgação



Rota do Sol - No caminho do litoral stars

Ver mapa

Verão, época de praia! Até pouco tempo atrás os gaúchos da Serra precisavam fazer um grande percurso, ou acessar ruas esburacadas, de chão batido, para chegar ao litoral. Hoje em dia, o trajeto pode ser feito por uma estrada de aproximadamente 55 km, através da Rota do Sol, pela Serra do Pinto, com ótimas condições de trafegabilidade, além de deslumbrantes paisagens. Túneis e viadutos fazem parte do cenário e desvendam vistas incríveis, a cada curva. 

A Rota do Sol liga o litoral do Rio Grande do Sul à Serra Gaúcha e Venâncio Aires à Terra de Areia. A obra foi idealizada em 1931, iniciada em 1972, e concluída em 2008, se configurando em um grande atalho às praias gaúchas. Para quem sai de São Francisco de Paula, a viagem passa por Tainhas, e segue pela rodovia até Terra de Areia, “capital do abacaxi”. Na altura do pequeno município, há diversas barraquinhas na encosta dos morros, onde delícias da região são comercializadas, como bananas, milho, cana-de-açúcar, abóbora, mel, melado e uma infinidade de produtos coloniais. A partir daí, há muitas praias próximas, com acesso rápido e fácil. Se seu destino nas férias é o litoral, a Rota do Sol não será apenas um simples caminho de ligação, mas certamente fará parte do passeio. Aperte o cinto, cuidado nas curvas e boa viagem!

Fontes: https://pt.wikipedia.org/wiki/BR-453 e http://www.gramadosite.com.br/noticias/regiao/id:15136/via:hotlink-comochegar

Fotos: Laisa Demoliner, Leandro Lorenzini, Archimedes.



 

Passo da Ilha - São Francisco de Paula/RS stars

Localização: a 65 km do centro de São Francisco de Paula. Ver mapa
Dificuldade: Fácil

O Passo da Ilha, formado pelo Rio Tainhas, está localizado em São Francisco de Paula, a 65 Km do centro da cidade. Rodeado de campos abertos e mata nativa, é um lugar perfeito para os amantes da natureza e para aqueles que gostam de acampamento. Nos dias quentes, há a possibilidade de se deliciar nas águas cristalinas das pequenas cachoeiras. Quando o rio está em  seu nível normal, a travessia de acesso à ilha pode ser feita de carro. O passeio apresenta um grau de dificuldade mínimo, já que o local possui boa infra estrutura para camping, pronto a receber os visitantes o ano todo. 



A 53 Km da Sede de São Francisco de Paula, é um lugar de rara beleza.

O Lugar, inicialmente foi chamado de "Passo das Marrecas " , aves que até hoje nos brindam com sua visita no início da manhã ou ao cair da tarde. O Camping Passo da Ilha, tem mais de 30 anos de atividades, de propriedade de Dante Paglioli dos Santos é atualmente é administrado pelo senhor Locir Wirilich e sua Família, e oferece uma infraestrutura com banheiros, tanques para lavar roupa, luz elétrica, água potável, churrasqueira coletiva, bar.

O alargamento de mais de 2km do Rio Tainhas forma uma Ilha que tem cerca de 1,5 hectare de terra, com muita natureza e mata nativa.

O Camping possui mercado com produtos alimentícios, limpeza, acampamento, carne, bebidas e produtos coloniais. O Pão, o leite e a carne, preferencialmente, devem se encomendados com antecedência; O Camping oferece Luz elétrica, banheiros, chueveiros quentes, tanques para lavar roupa e água potável. Há uma churrasqueira coletiva e mesas para refeição à disposição.

Para mais informações: http://www.campingpassodailha.com.br/index.php

Avenida Júlio de Castilhos - São Francisco de Paula/ RS stars

Ver mapa

A Avenida Júlio de Castilhos é a principal via pública de São Francisco de Paula. Localizada no centro da cidade, liga a entrada do Bairro Britadeira ao Bairro Pedra Branca. Nela, e em seu entorno, localizam-se os principais estabelecimentos e comércio da cidade.  

O monumento é uma obra do artista Vasco Prado, e simboliza o resgate às tradições e lendas do Rio Grande do Sul.

Encontra-se em seu percurso, alguns monumentos, importantes referências à história local, como o Monumento à Cuia (em frente à antiga prefeitura municipal), o Negrinho do Pastoreio (em frente ao Posto Ipiranga), o Monumento ao Gaúcho Carreteiro (em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais) e o Monumento aos Tropeiros (em frente à Prefeitura Municipal).

O monumento é uma homenagem aos desbravadores da região. É obra do artista uruguaio Sergio Centurion.


O colorido das árvores enche os olhos e o coração, principalmente no Outono, quando as folhas estão avermelhadas. Está esperando o quê? Pega teu mate e “simbora” admirar o que nossa cidade tem de melhor! 
O monumento à cuia representa um símbolo da cultura do povo gaúcho, o chimarrão, que passado de mão em mão transmite hospitalidade e tradição.

Os bancos, disponibilizados em toda sua extensão, são um convite para o encontro com amigos, um chimarrão no final da tarde ou apenas para o descanso, de quem por ali passa. Não raro, também podemos encontrar, principalmente no início da manhã, ou na tardinha, moradores fazendo sua caminhada diária. 

Monumento em reconhecimento a saga dos tropeiros que contribuíram heroicamente para o início do povoamento de São Francisco de Paula. Obra do artista Edmilson Duarte de Almeida

Um pouco da história
Júlio Prates de Castilhos foi um jornalista e político brasileiro, eleito Patriarca do Rio Grande do Sul pelos seus conterrâneos. Foi presidente do Rio Grande do Sul por duas vezes e principal autor da Constituição Estadual de 1891. Disseminou o ideário positivista no Brasil.
Extraído de: https://pt.wikipedia.org/wiki/Júlio_de_Castilhos

Cachoeira da Toca - São Francisco de Paula/RS stars

Localização: Arroio do Cedro, afluente Rolantinho D’Areia, na localidade de Mato das Flores

Distância: 15 km do centro de São Francisco de Paula

Rodeada pela exuberante Mata Atlântica, a Cachoeira da Toca encontra-se numa área privilegiada, com abundância de fauna e flora. O trajeto é de difícil acesso e são poucos os que se deslocam até a queda d’água.

Vista da chegada de uma linda trilha, saltando por encima das pedras do rio

A trilha deve ser realizada com o acompanhamento de condutores experientes. Para os corajosos que embarcam nessa aventura, a recompensa é sensacional: uma cachoeira com aproximadamente 15 metros de altura, cercada por paredões de pedra e uma caverna, que guarda em seu interior, outra cachoeira.

Cachoeira da Toca

Segundo místicos, a “Toca” é um forte ponto de energia. A região chegou a ser considerada o "Chácara Básico da Terra”. Um estudioso, ao buscar o lugar sagrado, afirmou ter aparecido a imagem de Sidarta Gautama, o Buda, em uma de suas fotos que retratavam os paredões de pedra. Crenças à parte, podemos assegurar que a Cachoeira da Toca é, de fato, além de encantadora, um local de rara beleza.  

Vista panorâmica de dentro da "toca"

Informações: Adão Samir e Mateus Barcelos
Fotos: Alex D' El Rei

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Bacalhau à Gomes de Sá - por Bárbara Brezolla da Luz

Ingredientes: 500g de lascas de bacalhau 500g de batata inglesa descascadas 200ml de azeite de oliva 1 dente de alho 2...

Patchwork: a arte de costurar

A palavra Patchwork significa "trabalho com retalho". É uma técnica de costura que une tecidos com uma infinidade de formatos...

Solidariedade ou Tolerância - por Cláudia Santos Duarte

Buscar palavras no dicionário e refletir sobre os significados contidos em cada uma delas é uma tarefa, no mínimo, interessante, pois pensando sobre...

Já é quase 2.015 - por Franco Vasconcellos

Há alguns dias, aguardamos o sorteio da Mega da Virada, comemos lentilhas, bebemos espumante... fizemos resoluções... Entramos em 2.014 com a...

Óleo e bueiro não combinam! - por Celina Valderez

Uma pessoa da comunidade, aqui em São Chico, assistiu despejarem óleo de fritura em um bueiro e ficou muito preocupada...

Puxando o Gatinho - por Giulia Aimi

Dicas de Maquiagem Hello 2016! A dica da edição passada foi sobre delineado perfeito. Como prometido, voltei para ajudar vocês a...

As Causas Ocultas da Violência – Parte 2 - por Fabiana Souza

"A causa última nunca é o mundo externo, que reage de acordo com leis fixas, e sim, o próprio homem...

A Neblina de São Chico - por Telmo Focht

Na foto, o Lago São Bernardo, em São Francisco de Paula/RS em um dia com muita neblina: Foto de: Cristina...

Filme - Azul é a Cor Mais Quente

Direção: Abdellatif Kechiche Ano: 2013 Gênero: Drama, Romance Classificação indicativa: 18 anos                                 Em Azul é a Cor Mais Quente, a...

Mãe Reflorestadora - por Liti Belinha Rheinheimer

Quando eu era criança, nossa família vivia num sítio. Década de 1930 a 1950, em Gramado. Em 1930, meus pais...

Patrocinadores da cultura