Lixaço - por Rafael Sanches Souza

Lixaço - por Rafael Sanches Souza

Um dos conceitos que mais me marcou quando li 1984, do George Orwell, foi o do uso da guerra, que eu vou chamar aqui de Dissipação Energética. No livro, os governantes adotam a prática da guerra como estratégia para consumir o dinheiro "excedente" da sociedade, que nada mais é do que um excedente energético. Observei uma estratégia similar na Oficina de Carrinhos de Rolimã em 2011, quando orientamos os participantes da oficina a LIXAREM AÇO para diminuir o diâmetro dos eixos até que entrassem os rolimãs.

O contexto era de uma primeira vez que estudantes de Engenharia, sem experiência pedagógica prévia nenhuma, tentavam desesperadamente conduzir atividade para crianças que, por definição, possuem MUITA energia e criatividade para dissipá-la (desde martelos voadores ao uso de papel higiênico como serpentina de carnaval). Dadas as circunstâncias, nossa solução foi bastante adequada: aqueles que possuíam energia sobrando se aquietaram e conseguimos terminar a proposta sem grandes incidentes.

No entanto, se nós adotássemos esta mesma estratégia como política para as oficinas subsequentes, seria bastante incosequente - e até anti-ético - da nossa parte, pois existem maneiras muito mais "produtivas" de se dispersar esta energia que podem ser elaboradas durante o projeto da oficina. Voltando à nossa sociedade, houve um tempo que a estratégia da guerra era a política vigente e acredito que por motivos bastante análogos aos observados na Oficina de Carrinhos de Rolimã.

Hoje ainda existe guerra, mas não é mais a política generalizada. Qual(is) é(são) então nossa(s) política(s) de Dissipação Energética vigente(s)? Acredito que o consumismo seja uma resposta bastante promissora. Nós compramos, descartamos, reciclamos, comparamos... enfim. Talvez seja difícil se afastar o suficiente para enxergar friamente o quadro em que estamos inseridos. De qualquer forma, o que podemos fazer? Talvez um bom passo seria se identificar como ator nesta cena. Quem somos nós? A criança lixando o aço, ou o oficineiro inexperiente?

 

Deixe seu comentário

Lugares que podem te interessar

view_module reorder

Lajeado das Margaridas - Cambará do Sul/RS

Localização: 12 km do centro de Cambará do Sul O Lajeado das Margaridas está localizado a 12Km do centro de Cambará do...

Cachoeira do Nassucar - Cambará do Sul/RS

Localização: Vale do Rio Santana, a 24 km do centro de Cambará do Sul. No Vale do Rio Santana, ao norte...

Cachoeira do Tio França - Cambará do Sul/RS

Localizada a 3 Km da cidade de Cambará do Sul, é onde o arroio Campo Bom despenca para formar uma...

Cachoeira dos Venâncios - Cambará do Sul/RS


Localização: A 23 Km da cidade, distante 12,5 Km da RS 020. Ver mapa O município de Cambará do Sul, conhecido...

Passeando em família pelo Itaimbezinho e Fortaleza - por Valéria de Moraes

Localizados nas proximidades do município de Cambará do Sul, na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina...

Quer saber as novidades na Usina?

Inscreva o seu email na nossa lista e receba por email

Somos contra o spam. Inscrevendo seu email na nossa lista, receberá email emails somente enquanto desejar, a Usina sempre respeitará a sua decisão, deixando sempre disponível no rodapé do email um link para cancelamento a qualquer momento, sem complicações


Parceiros na difusão cultural