Queremos realmente uma língua mais simples? - por Sérgio Marino

Queremos realmente uma língua mais simples? - por Sérgio Marino

Tenho ouvido muitas vezes que a nossa língua, o português, é uma das línguas mais “difíceis” do mundo e que o inglês, essa sim, é uma língua “fácil” de se falar e escrever, já que tem poucas regras e menos flexões que a nossa. Ora, se isso é verdadeiro, devemos regozijar-nos, pois estamos vivendo em um tempo de “simplificação” de nosso vernáculo: estamos, finalmente, simplificando as flexões verbais: “Cê qué almoçá? Nois já almoçô!” “Se cê quizé, nois esquenta de novo procê.” “Tu qué que eu pego?” 'Tu qué que eu busco?”.

Achou feio, não gostou? Ora, provavelmente você já reclamou inúmeras vezes das regras que regem nossa gramática. É assim mesmo, se não gostamos de tantas “gramatiquices” devemos saudar as inúmeras simplificações que ocorrem diariamente na prática linguística:

Vamos comparar o verbo ser com o verbo to be do inglês:

 

É ou não é uma bela reforma na conjugação verbal? Assim, simplificada, o português se torna uma das línguas mais simples e já não perdemos anos e anos aprendendo regras e estaremos livres para outras atividades mais proveitosas, como a leitura por exemplo.

Quem achou horrível os exemplos citados e tantos outros de que oportunamente falaremos, deve mudar a postura e parar de dizer que o inglês ou outras línguas são melhores porque são mais simples. Não sejamos incoerentes: o português pode ser simplificado quase infinitamente. É isso que o povo está fazendo, simplificando a língua. É isso realmente o que a gente quer?!


Sérgio Marino
Professor de Língua Portuguesa



 • Publicado na Revista Usina da Cultura - número 08 - Dezembro de 2013.

O que achou, foi útil para você? Então conta pra nós!

Artigos que podem te interessar

view_module reorder

Dicas para um envelhecimento saudável - por Fabíola Frezza Andríola

Todos sabemos que o processo de envelhecimento é muito complexo e por isto não existe uma “pílula mágica” que acabe...

A saúde do corpo e da mente - por Mercedes Sanchez

"O dom mais precioso na vida do ser humano é a saúde do corpo e da mente." O dom mais precioso...

Use boné - por Franco Vasconcellos

Não sou do tipo que reclama à toa. Mas funciono melhor em temperaturas baixas. Esse verão me tirou o couro...

Entre a ditadura e a democracia: 50 ANOS DO GOLPE DE 64 - por Cláudia Santos Duarte

Em 2014 completaram 50 anos do Golpe de 64, que instaurou a ditadura civil-militar no Brasil.  Para alguns, é novidade saber...

Muy capaces - por Elena Cárdenas

Você conhece a canção “Paint in Black”, dos Rolling Stones? Me veio à mente o que aconteceria se Mick Jagger...

Torta de abobrinha sem glúten - Gabi Figueredo

A receita de hoje é especial para os doentes celíacos, mas quem não tem a doença pode comer a vontade...

Vamos dialogar? - por Mercedes Sanchez

O diálogo é uma das melhores ferramentas para estabelecer uma relação harmônica e equilibrada com os que nos rodeiam. Todos dialogamos...

Vocação, eis a questão! - por Fabiana Souza

No sistema em que vivemos, é comum acreditarmos que um profissional satisfeito é aquele que ganha bem e, assim, poucos...

As Causas Ocultas da Violência – Parte 2 - por Fabiana Souza

"A causa última nunca é o mundo externo, que reage de acordo com leis fixas, e sim, o próprio homem...

Atividades - Fabrique seu próprio gás hélio para os balões!

  Você vai precisar de· 1 garrafa de plástico de 1 litro· Balões· 3 colheres (chá) de bicarbonato de sódio ·...

Patrocinadores da cultura